Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Evra revela alívio com paz francesa em 2014 após ‘desastre’ de 2010

Ribeirão Preto (SP)

Muito longe da fama de “bad boy” adquirida nos últimos anos, o lateral esquerdo Patrick Evra era só sorrisos na coletiva de imprensa da França desta quarta-feira. O jogador, que também defende o Manchester United, não escondeu o entusiasmo com a boa vitória sobre os hondurenhos por 3 a 0 na estreia e a paz no elenco francês.

“Estou feliz, gostando muito deste momento. É um grande prazer jogar neste time. Desta vez, todos nós estamos jogando pelo mesmo objetivo, e isso é muito bonito. Há um orgulho em vestir essa camisa. Não estamos nos comportamos como estrelas. Os grandes adversários da França somos nós mesmos. A estrela é a equipe”, explicou.

Evra se referiu à desastrosa campanha da França em 2010, quando a equipe foi eliminada ainda na primeira fase, sem nenhuma vitória e com apenas um gol marcado. Um racha no elenco fez com que alguns jogadores entrassem em greve. Em meio ao caos, o lateral esquerdo quase agrediu um preparador físico em uma discussão e acabou perdendo a faixa de capitão.

AFP
De bem com a vida, Evra não esconde alegria com bom início e paz da França na Copa

“Se eu sou um bad boy para a mídia, isso não me afeta em nada. Conheci muitos fãs, muitos jogadores, e nunca tive problemas”, garantiu. Hoje, Evra segue sem ser capitão do time, posto ocupado pelo goleiro Hugo Lloris. Mas, para ele, isso não é problema. “Não sei porque Deschamps (Didier, técnico) não me quer como capitão. Mas Hugo foi escolhido e devo respeitar isso. Não é prioridade. Exerço meu papel no vestiário e no campo mesmo sem a braçadeira”, garantiu.