Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Expulsão de Marchisio em queda diverge opinião dos próprios italianos

Natal (RN)

No início do segundo tempo, quando a partida ainda estava empatada em 0 a 0, Marchisio fez falta dura sobre Arévalo Rios e foi expulso de campo. Depois disso, a Itália não conseguiu segurar o resultado, sofreu o gol de Godín e acabou sendo eliminado da Copa do Mundo já na primeira fase. O cartão vermelho para o meio-campista, no entanto, diverge a opinião até mesmo dos italianos.

“Não se pode sempre recriminar o juiz. É claro que não ajudou, mas devemos assumir nossas próprias culpas, os nossos problemas. Tivemos duas derrotas consecutivas, então temos a nossa parcela de culpa. Temos que fazer um exame de consciência”, disse o goleiro Buffon, que após bela atuação nesta terça-feira, preferiu isentar o árbitro de culpa.

A opinião de outros companheiros, porém, não é semelhante. Para alguns, o árbitro mexicano Marco Rodríguez foi o maior responsável pela eliminação precoce da seleção italiana. E acordo com o meio-campista Verrati, não é possível admitir que um juiz interfira no resultado de um jogo decisivo.

“O juiz não pode decidir o jogo por causa de uma falta. O Marchisio não entrou para machucar o outro jogador, portanto foi uma decisão questionável do juiz. E ainda teve a mordida de Luis Suárez no ombro de Chiellini...”, disse Verrati, em entrevista ao Sportv, lembrando também que o atacante Suárez mordeu o zagueiro Chiellini e não foi punido pelo ato.

Irritado com a atuação do árbitro, o treinador Cesare Prandelli pediu demissão do cargo e não poupou críticas ao mexicano. “É o tipo de jogo que pode acontecer tudo. Demonstramos muita garra, mas é um absurdo ficar com 10 jogadores em uma partida desse tipo. Por causa da expulsão o juiz determinou o jogo”, avaliou o comandante da seleção italiana.

AFP
O meio-campista Marchisio foi expulso no início do segundo tempo, após entrada dura sobre o Arévalo Ríos