Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Felipão agradece até a políticos e diz: “Chegou a hora, vamos juntos”

Luiz Ricardo Fini e William Correia São Paulo (SP)

A primeira declaração do técnico Luiz Felipe Scolari na entrevista coletiva desta quarta-feira foi em agradecimento a políticos e aos torcedores da Seleção Brasileira. Sentado ao lado de Neymar na sala de imprensa do estádio em Itaquera, o treinador segurou um papel enquanto agradecia a quem enviou mensagens de apoio a sua equipe.

“Em primeiro lugar, quero agradecer em nome da comissão e dos jogadores à presidente Dilma, que mandou mensagem, ao Aécio Neves, que telefonou, aos ex-presidentes Lula e Fernando Henrique e ao ministro Gilmar Mendes. E também às milhares de pessoas que mandaram cartas e mensagens de incentivo à Seleção”, afirmou.

No complemento de seu discurso, Felipão avisou que espera união na Copa do Mundo que começa nesta quinta-feira. “A todos estes e a todos os brasileiros, quero dizer que chegou a hora. Vamos todos juntos, é o nosso Mundial”.

Em meio à disputa pela presidência da República, o discurso de Felipão não toma partido, assim como o comunicado oficial divulgado pela Confederação Brasileira de Futebol. No site da CBF, todos os nomes citados pelo treinador são mencionados em uma nota, pois, segundo a entidade, entraram em contato com a comissão técnica ou com o presidente José Maria Marin para desejar boa sorte.

Ao término de sua última entrevista coletiva antes da estreia na Copa do Mundo, Felipão dirigiu o treino de encerramento da preparação, também no estádio da capital paulista. A partida contra a Croácia será nesta quinta-feira, às 17 horas (de Brasília).

AFP
"Vamos todos juntos, é o nosso Mundial”, disse Felipão em entrevista coletiva, após lembrar Dilma e Aécio

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade