Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Felipão 'muda' tabu e diz que torcida fez time assimilar gol contra

William Correia e Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

Antes da Copa do Mundo, dirigentes da CBF, jogadores e Luiz Felipe Scolari ressaltaram a importância da torcida na busca pelo hexacampeonato. Após vencer de virada na estreia, o técnico foi além: credito a quem não estava em campo no estádio de Itaquera a recuperação da Seleção após o gol contra de Marcelo aos dez minutos de jogo.

“O peso de não ter sentido o gol partiu da torcida. Nos oito minutos seguintes, não assimilamos, mas a torcida fez com que assimilássemos e nos comportássemos daquela forma”, disse Felipão, deixando bem claro que os atletas têm participação, mas graças ao apoio que receberam.

“Os nossos jogadores foram excelentes no sentido de mudar um resultado com a juventude que possuem. Iniciar o Mundial em casa, com a pressão que existe, levando um gol e mudar o resultado. Foram fantásticos. Mas quem está de parabéns são os torcedores”, reforçou.

Scolari fez questão de tocar no assunto antes mesmo de responder qualquer questão em sua entrevista coletiva. O treinador, inclusive, avisou que a impaciência costumeiramente atribuída aos paulistas – e que a Croácia admitiu contar como arma na véspera do jogo – não é mais merecida.

“A torcida foi maravilhosa, fantástica, inacreditável, diferente de tudo que imaginavam. Se existia alguma história de que a torcida de São Paulo não é tão efusiva com a Seleção, não existe mais. Esse estádio mostrou isso”, comemorou o comandante brasileiro.

Diferentemente até das vaias ouvidas na última sexta-feira diante da falta de inspiração na vitória sobre a Sérvia em amistoso no Morumbi, os presentes no estádio do Corinthians nesta quinta-feira não deixaram de apoiar o elenco mesmo no aquecimento. Inclusive Marcelo ouviu seu nome ser cantado depois de desviar a bola contra as próprias redes.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade