Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Força e velocidade da Nigéria já preocupam Deschamps para oitavas

Tossiro Neto Rio de Janeiro (RJ)

Didier Deschamps não queria, mas aceitou falar sobre a Nigéria (próximo adversário da França na Copa do Mundo) logo após a conquista da vaga para as oitavas de final. Menos de uma hora depois do empate por 0 a 0 com o Equador, neste domingo, o treinador fez uma análise prévia do rival africano, que, em sua opinião, será duro.

"Vocês (jornalistas) realmente querem que eu já fale da Nigéria, né? Bom... Tenho visto que é um time muito forte, muito sólido, que se defende muito bem. Eles são rápidos. Será muito difícil para nós, teremos que lutar muito", avaliou, brevemente.

Antes de comandar sua equipe no Maracanã e carimbar a classificação na liderança do grupo E, Deschamps pôde assistir a alguns trechos da vitória da Argentina sobre a Nigéria, nesta quarta-feira. O confronto seria parte da definição de seu adversário, já que estava em disputa a primeira colocação da chave F – se os nigerianos tivessem vencido, os rivais da França seriam os argentinos.

Até segunda-feira, data do duelo contra a seleção africana, em Brasília, os franceses terão quatro dias de preparação. Ou três, já que deverão folgar nesta quinta. "A partir de amanhã, teremos tempo para pensar na Nigéria. Já a vi jogar, mas vou olhar com mais cuidado. Mudarei meus treinos. Nós iremos nos adaptar, buscar o tipo de jogo necessário. Não amanhã, mas depois de amanhã", destacou Deschamps.

A França é apenas a quarta seleção da Europa a ter garantido vaga nas oitavas até o momento. Outras campeãs mundiais, como Espanha, Inglaterra e Itália deram adeus mais cedo ao torneio. Entre as que ainda podem avançar, está a Alemanha, que pode entrar no caminho dos comandados de Deschamps nas quartas de final.

"Vamos dar um passo após o outro", cobrou o técnico à imprensa. "A Alemanha ainda tem que jogar outras partidas também. Vamos um jogo após o outro", frisou, preocupado primeiramente com a força e a velocidade nigerianas.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Didier Deschamps está preocupado com o rival da seleção francesa nas oitavas, a Nigéria