Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Fúria rebate críticas sobre local de preparação: “Não tem desculpas”

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Como já se esperava, a imprensa espanhola já começou a busca por culpados pela derrota de sua seleção na estreia da Copa do Mundo, diante da Holanda, por 5 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Do goleiro Casillas ao esquema tático, tudo virou alvo de análise, com os mais críticos pedindo mudanças profundas em todos os setores para enfrentar o Chile.

A preparação realizada em Curitiba não foi esquecida. Enquanto as demais seleções treinam em temperaturas mais altas, algumas ao nível do mar, como foi a primeira partida, na Bahia, e a próxima, no Rio de Janeiro, a Fúria está a quase mil metros de altitude em pleno inverno da capital paranaense, a mais fria do Brasil.

AFP
O lateral Jordi Alba elogiou a infraestrutura do centro de treinamentos em Curitiba
Para o zagueiro Sergio Ramos, no entanto, esses fatores não devem ser colocados em conta para justificar a derrota. “Não tem desculpas. Isso é coisa de perdedor. E a Espanha tem uma mentalidade vencedora. Se tivéssemos ganhado ninguém estaria falando sobre isso”, avaliou.

O lateral Jordi Alba também defendeu a escolha por Curitiba, elogiando as instalações do CT do Caju. “Estamos contentes onde estamos. Pessoalmente, prefiro estar aqui. Não tem problemas com calor ou frio, temos boas condições, ótimas instalações”, disse.

Ramos garante que o grupo está absorvendo bem a enxurrada de críticas e crê que, da parte da torcida, a confiança segue quase unanime. “Aceitamos as críticas e cada um é livre para opinar o que quer. Mas tenho certeza que 98% do país confia em sua seleção. Já são muitos anos de trabalho. Depois de tantos anos não dá para culpar o grupo falar em fim de ciclo”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade