Futebol - ( - Atualizado )

Gol bósnio gera briga entre argentinos e brasileiros no Maracanã

Tossiro Neto, enviado especial Rio de Janeiro (RJ)

O gol anotado pelo bósnio Ibisevic, aos 38 minutos do segundo tempo da derrota por 2 a 1 para a Argentina, neste domingo, foi o estopim para uma briga entre torcedores argentinos e brasileiros na arquibancada do Maracanã, depois de uma série de provocações entre os rivais ao longo de toda a partida, válida pela primeira rodada do grupo F da Copa do Mundo.

Segundo relatos de pessoas que estavam próximas do local, nos assentos localizados abaixo do túnel de acesso ao portão 8, um argentino teria atirado um copo de cerveja nas cadeiras abaixo, durante a comemoração adversária, e atingido brasileiros. Quatro subiram até ele, que estava acompanhado do pai, e deram início à troca de agressões.

Os policiais militares acionados apenas retiraram os dois argentinos da arquibancada, a fim de preservá-los. Os brasileiros não foram identificados, mas pessoas que estavam ao redor contaram que o tumulto foi filmado e fotografado por diversos torcedores. "Não foi nada demais", minimizou o senhor de idade que é pai do torcedor agredido, ao lado de policiais militares.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Nem tudo foi bonito nas arquibancadas do Maracanã no primeiro jogo do Mundial de 2014 por lá
A mistura entre os rivais sul-americanos no público de 74.738 pessoas ficou clara antes até do apito inicial, ainda que fosse a Bósnia e Herzegovina a adversária da Argentina. Cantos de comparação entre Maradona e Pelé eram respondidos aos que enalteciam Neymar, em detrimento de Messi, e os gritos de "olé", "Messi v..." e "pentacampeão" tentavam se sobressair aos de exaltação aos campeões de 1978 e 1986.

Nos minutos finais do confronto, já depois de apartada a briga na arquibancada, os brasileiros presentes no Maracanã se uniram para uma última provocação em alto som: "Argentina, pode esperar, a sua hora vai chegar". Se as duas seleções passarem na primeira colocação de suas respectivas chaves e forem avançando de fase, elas se encontrarão somente na decisão da Copa.

Questionados sobre a participação dos brasileiros, os dois técnicos reagiram de modo diferente. O argentino Alejandro Sabella evitou polêmica. Já o bósnio Safet Susic, é claro, gostou do apoio. "Todos sabíamos que uma parte da plateia torceria por nós, e eu mencionei isso para minha equipe. Eles nos deram boa vindas de uma forma fenomenal em campo. Gostaria de agradecer e espero que não tenhamos desapontado. Garanto que não viram tudo que podemos fazer ainda", falou, envaidecido.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade