Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Inter quer minuto de silêncio na Copa em homenagem a Fernandão

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

Desde sábado, quando a morte do ex-jogador Fernandão foi confirmada, o Internacional tem recebido milhares de sugestões por parte de seus torcedores como formas de homenagear o ídolo. O clube prometeu estudar todas. A aposentadoria da camisa 9, número que Fernandão costumava vestir quando jogava pelo Inter, e a construção de uma estátua sua em frente ao Beira-Rio são as mais fortemente cogitadas até agora.

A primeira medida será tomada já nesta semana. Através de seu site oficial, o Inter informou que solicitará junto à FIFA um minuto de silêncio antes do jogo entre França e Honduras, domingo que vem, o primeiro que o Beira-Rio sediará na Copa do Mundo. O Inter depende do aval da FIFA porque seu estádio foi entregue à entidade durante o Mundial. A resposta ao pedido deve ser recebida nos próximos dias.

Os pêsames dos ídolos

Além dos milhares de colorados (e também gremistas) que foram ao Beira-Rio e a o Auditório Araújo Viana prestar suas homenagens a Fernandão, ídolos do Inter também lamentaram a morte do capitão do título mundial de 2006.

“Ele foi um irmão mais velho pra mim. Aprendi muito como profissional e como ser humano com ele. Todos perdemos muito com sua ida prematura. Tinha muita coisa pra viver. E sinto demais pela família toda, Fernanda, Enzo e Helloah, a quem tive o prazer de conhecer e de encontrar na festa no Beira-Rio. Dói demais. Não dá para acreditar. Que Deus abençoe seu descanso e que o menino Jesus esteja com sua família. Vai fazer muita falta, como já esta fazendo”, desabafou o meia Alex, que jogou ao lado de Fernandão durante toda a passagem do ídolo pelo clube, entre 2004 e 2008.

"O futebol perde uma referência com a morte prematura de Fernandão. Mas, sem dúvida, a perda maior e irreparável é a do ser humano, exemplo de ética, caráter e amigo. Meus mais sinceros sentimentos à família, e que ela possa encontrar o conforto necessário para enfrentar esse momento”, afirmou Paulo Roberto Falcão, ídolo do histórico Inter dos anos 70.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade