Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Mano nega influência negativa de estádio em novo tropeço em Itaquera

Marcos Guedes São Paulo (SP)

A adaptação ao novo estádio não foi, desta vez, citada por Mano Menezes como justificativa do segundo tropeço do Corinthians em dois jogos em Itaquera. O técnico, que havia apontado o problema após a derrota para o Figueirense, negou influência dele no empate por 1 a 1 com o Botafogo, cedido no finalzinho.

“Não penso que o time sentiu o estádio hoje. O jogo passado trouxe pressão, empolgação, porque era o primeiro momento. A equipe foi completamente diferente hoje. Chegou diferente, estava preparada para um jogo normal de futebol. Se não fizemos o resultado, que estava na nossa mão, foi porque não soubemos aproveitar”, afirmou.

No jogo inaugural, os jogadores haviam mencionado diferenças consideráveis, do gramado mais rápido ao ambiente em torno do campo. Petros chegou a comentar sobre a dificuldade de comunicação com Mano, por causa do barulho da torcida, com o que concordou o comandante.

Djalma Vassão/Gazeta Press
O técnico da Seleção, Luiz Felipe Scolari, poderá deixar Itaquera vitorioso antes de Mano Menezes
As explicações irritaram Andrés Sanchez, dirigente responsável pela construção da arena. De acordo com ele, se o gramado não estava agradável e se o ambiente da arena apresentasse pressão demasiada, que os atletas fossem jogar “em um campo de várzea, cheio de buracos”.

Além de negar influência negativa no segundo tropeço, Mano Menezes fez elogios ao palco da partida inaugural da Copa do Mundo, no próximo dia 12. “O estádio está muito bonito. Precisa passar por últimos ajustes, mas está mais ajustado do que no primeiro jogo. Penso que poderemos fazer uma abertura bonita aqui, na Arena Corinthians”, disse o treinador.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade