Futebol/Seleção Brasileira - ( - Atualizado )

Marcelinho analisa Copa “estratégica” e vê Neymar como único craque

Do correspondente Tiago Salazar Santos (SP)

Ídolo do Corinthians e ex-jogador da seleção brasileira, Marcelinho Carioca está acompanhando a Copa do Mundo atentamente em meio a suas novas atividades profissionais. O eterno Pé de Anjo sairá candidato a deputado estadual pelo PT nas próximas eleições, mas o futebol será sempre o assunto de seu domínio.

“Não vi nenhum jogo da Copa no estádio, a correria está grande, trabalhando muito, mas estou acompanhando tudo”, disse o ex-camisa 7 do Timão.

Após dois jogos da seleção brasileira, uma vitória em cima da Croácia e um empate sem gols contra o México, Marcelinho ainda analisa o Brasil como favorito ao título.

“Eu acho que os fatores torcida e campo são de grande valia para que o Brasil possa ter uma leve vantagem, mas nesse jogo de estratégia, de inteligência, até de irritar o adversário, eu creio que possa ser favorável para o Brasil”, comentou Marcelinho, surpreso com alguns resultados e apostando tudo em Neymar, na visão dele, o único diferenciado do time de Felipão.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Marcelinho Carioca avaliou que esta Copa do Mundo será definida por uma boa estratégia
“Essa Copa está sendo surpreendente, até mesmo porque a expectativa em cima dos grandes jogadores não está sendo correspondida. Uma exceção é o nosso Neymar porque apesar de todas as dificuldades, de tanta marcação, ele tem uma técnica muito apurada e consegue sobressair ainda, mas, como diz o ditado, uma andorinha só não faz verão”, avisou, preocupado, mas ainda assim confiando no sucesso da seleção brasileira em busca do hexacampeonato, mesmo que sem um futebol vistoso.

“O brasileiro está acostumado a ver equipes como a de 70, 82, 86, 90, 94, 2002. Essa não é uma seleção que tem aquela qualidade, mas essa será uma Copa de estratégia, uma Copa daquele que erra menos”.

As seleções mais tradicionais continuam sendo as favoritas na opinião de Marcelinho e o espetáculo apresentado até tem agradado ao ex-craque.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Para Marcelinho Carioca, Neyma é o único jogador que pode oferecer algo diferente à Seleção
“A grata surpresa tem sido o coletivo. O Van Persie, o Robben, o conjunto da Holanda, o conjunto da Alemanha, uma Itália forte, o jogo da Argentina foi decidido em duas jogadas do Messi, então, está difícil falar alguma coisa, está muito gostoso de se ver, acho que está agradando muito a todo mundo”, explicou.

O receio do craque com os jogos equilibrados ficou evidente ao ser questionado sobre um palpite para o próximo jogo do Brasil, contra Camarões.

“Brasil ganha, vou botar 1 a 0, não vou arriscar muito, não. O negócio é ganhar”, disse, rindo, antes de completar. “Rapaz, o negócio está complicado, vou botar um gol de um zagueiro ali, está bom”.