Futebol/Copa 2014 - ( )

Mostrando poder ofensivo, atletas que atuam na Europa são destaque

Curitiba (PR)

De todas as nações africanas que participam do Mundial no Brasil, a seleção da Argélia consta como uma grata surpresa. Em um grupo com  Bélgica e Rússia como favoritas à classificação, a equipe foi conquistando seu espaço até chegar à última rodada com boas chances de classificação, graças a atuação, sobretudo ofensiva, dos atletas argelinos que atuam no futebol do Velho Continente.

Com quatro pontos somados, após uma derrota e uma vitória, os argelinos não deixaram de marcar gol em uma partida sequer. A boa campanha dos norte-africanos se deve muito a experiência de atletas que atuam no futebol europeu, em clubes da Espanha e Portugal, como o defensor Rafik Hallice, atualmente no Acadêmica Coimbra (POR), os meio-campistas Sofiane Feghouli e Yacine Brahimi, no Valencia (ESP) e no Granada (ESP), respectivamente, e Islam Slimani, que defende o Sporting (POR).

Cada um desses jogadores balançou a rede uma vez, além do atacante Djabou, que atua no futebol da Tunísia, fazendo com que a equipe norte-africana tivesse o melhor índice de gols marcados no Grupo H, com cinco tentos somados, contra apenas três dos belgas, conhecidos pelo poderio ofensivo e pela diversidade de opções no setor ofensivo.

Contrariando os prognósticos, os argelinos dependem apenas de um empate diante dos russos para garantir a vaga inédita nas fases eliminatórias da Copa do Mundo. A partida decisiva acontece nesta quinta-feira, às 17 horas (de Brasília), na Arena da Baixada, em Curitiba (PR).

AFP
Yacine Brahimi comemora o gol sobre os sul-coreanos ao lado dos companheiros (Foto:Pedro Ugarte/AFP)