Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Na Argentina, antes desconfiado, Gago ganha status de salvador

Buenos Aires (Argentina)

Se a estrela de Messi brilhou no debute da Argentina no Maracanã no último domingo, a do volante Fernando Gago não ficou atrás. O jogador, que entrou na etapa final do duelo contra a Bósnia-Herzegovina, é apontado pelos torcedores argentinos como um dos grandes responsáveis pela vitória hermana de 2 a 1. Em enquete realizada pelo maior portal esportivo do país, o diário Ole, 32% dos “hinchas” apontaram o defensor como o cara do jogo, enquanto outros 32% elegeram Leo Messi.

O restante dos votos da enquete ficou com o goleiro Romero, que fez excelentes defesas no primeiro tempo e impossibilitou uma virada da Bósnia, e com o volante/zagueiro Mascherano. Parciais de 23% para o primeiro e 13% para o segundo.

Jogador do Boca Juniors, Gago fez uma temporada oscilante, assim como sua equipe, no Campeonato Argentino e chegou à Copa do Mundo sem saber se seria titular ou um reserva de luxo. No jogo de estreia da seleção, o técnico Alejandro Sabella optou por um esquema tático de apenas um volante, Mascherano, com Máxi Rodríguez e Di María no meio-campo.

AFP
Donos da bola: Gago e Messi dividiram o status de "cara do jogo" para torcedores argentinos

No segundo tempo, Gago ingressou no lugar de um zagueiro, Campagnaro, dando mais liberdade aos homens de meio e possibilitando – junto com a entrada de Higuaín no lugar de Maxi – que Messi voltasse para buscar a bola e tabelasse do jeito que ele mais sabe jogar. Deu certo.

O chamado “efeito Gago” pelo diário argentino satisfez, inclusive, o próprio camisa 5. “Sinto o futebol igual Messi”, disse.

Agora, a Argentina já pensa no Irã. Os Hermanos voltam a campo no próximo sábado, às 13 horas (de Brasília), no Mineirão. Sabella admite que deve repensar o esquema tático e, quem sabe, devolver a titularidade a Fernando Gago.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade