Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Oscar vibra com boa atuação e ouve de Felipão: "Você é muito bom"

São Paulo (SP)

Jogador mais questionado da Seleção Brasileira nos amistosos de preparação para a Copa do Mundo, Oscar foi decisivo na vitória por 3 a 1 sobre a Croácia, na estreia. Ele participou de todos os gols do jogo, apontou a atuação como uma das melhores de sua carreira e teve o reconhecimento do chefe ainda no campo.

“Ei, Oscar! Oscar! Oscar!”, berrou Luiz Felipe Scolari, enquanto o meia abraçava Neymar na comemoração do gol que fechou a contagem, aos 45 minutos do segundo tempo. “Você é muito bom. Você é muito bom!”, gritou o técnico quando ganhou a atenção do camisa 11.

Felipão havia defendido bastante o jogador após seu mau desempenho no último jogo de preparação, a vitória por 1 a 0 sobre a Sérvia. Descartou a possibilidade de sacá-lo do time antes da abertura do Mundial e ganhou uma excelente resposta do atleta de 22 anos.

“Foi um dos melhores jogos da minha vida, numa Copa ainda. Minha filha acabou de nascer, e essa vitória não foi só para ela mas também para minha esposa, no Dia dos Namorados. É importante para mim e para minha família, mas importante mesmo vai ser conquistar a Copa”, disse Oscar à TV Globo.

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press
Segundo Oscar, apesar dos maus amistosos, "todo o mundo sabia" que ele jogaria bem na Copa
O começo da partida não foi dos melhores para ele. O meia perdeu a bola que resultou no gol da Croácia, mas não se abateu. Atuando aberto pela direita durante todo o jogo, construiu bons lances e foi efetivo até os momentos derradeiros, esforço que lhe rendeu cãibras.

“No primeiro gol, briguei com a marcação, consegui roubar a bola e dar o passe para o Neymar. No segundo, fiz o cruzamento para o Fred (que cavaria pênalti). E ainda fiz o gol no finalzinho”, comentou o jogador, questionado sobre a semelhança de seu tento com o de Ronaldo, também de bico, na semifinal da Copa de 2002.

“Não deu para eu me lembrar de mais ninguém. Deu cãibra nas duas pernas, e a única opção foi dar de bico. Eu sempre joguei futsal, é uma qualidade que não é só minha. Outros atletas também jogaram, e era o único recurso que tinha ali”, sorriu, claramente desgastado.

Apesar do cansaço, Oscar deixou o campo de Itaquera bem satisfeito com a própria atuação após as críticas. “O importante é a confiança. Apesar de eu não ter feito o melhor nos amistosos, todo o mundo sabe como eu jogo. Todo o mundo sabia que na Copa eu iria dar o meu máximo e fazer o que fiz nesse jogo.”

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade