Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Palmeirense torce pelo Chile e para que Valdivia não se lesione

Tossiro Neto Rio de Janeiro (RJ)

Em meio à multidão vermelha de chilenos na frente do Maracanã, o brasileiro João Kleber Ghirardini se destaca com um uniforme verde-limão. Torcedor do Palmeiras, ele saiu de Araras (SP) com mais 22 amigos e chegou ao Rio de Janeiro, na madrugada desta quarta-feira, para ver Valdivia e companhia diante da Espanha. O meia é o único representante do clube na Copa.

"Espero que o Valdivia jogue bem e faça um golzinho, mas que não se machuque ainda mais", disse, com sotaque do interior paulista.

Camisa 10 tanto do clube quanto de sua seleção, Valdivia tem um longo histórico de lesões na carreira. Em sua atual passagem pelo Palmeiras, foi muito questionado por estar no departamento médico em momentos decisivos, nos quais o time sentiu sua falta. Na divisão entre os torcedores que gostam dele e os que esperam que ele seja vendido após o Mundial, Ghirardini faz parte do segundo grupo.

"É curioso isso, ele se machuca muito mesmo, mas não acho que ele seja pipoca. Não gostaria que ele fosse vendido e acho que não vai ser. A não ser que seja para algum time da Arábia, daqueles lados", comentou o brasileiro, que também não mostra muita confiança na seleção chilena, nesta quarta-feira.

"Eles têm um time de boa qualidade até, mas a zaga é fraca. É baixa e falha muito. Do meio para frente, o Chile tem bons jogadores", analisou o palmeirense.

A zaga chilena, vazada uma vez na estreia com vitória sobre a Austrália, será testada pela Espanha às 16 horas (de Brasília) desta quarta-feira. O time sul-americano busca sua primeira vitória na história sobre os europeus, o que lhe garantiria a classificação antecipada às oitavas de final da Copa do Mundo e já eliminaria os campeões de 2010.