Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Perseguido pela torcida, Hodgson cita desidratação e elogia Itália

Bruno Ceccon, Enviado Especial Manaus (AM)

O técnico Roy Hodgson foi vaiado assim que seu nome apareceu no telão da Arena da Amazônia, minutos antes do jogo diante da Itália. Ele evitou reclamar das condições de Manaus após a derrota por 2 a 1 no sábado e reconheceu a superioridade dos adversários, mas citou o sofrimento dos britânicos.

“Alguns jogadores tiveram dificuldades. Trabalhamos muito nisso, mas muitos tiveram cãibras por desidratação”, afirmou, apesar de destacar que a Inglaterra lutou pelo empate até nos acréscimos. “É claro que isso acaba pesando mais no final da partida, mas mesmo assim continuamos buscando o gol”.

O treinador é o centro da polêmica com a cidade de Manaus, criticada pelo clima quente e úmido. Insatisfeitos com os comentários dos ingleses no período que antecedeu o Mundial, alguns manauaras vaiaram a Inglaterra e adotaram a Itália na Arena da Amazônia.

“Tivemos muita dificuldades de adaptação, mas sempre vai ser difícil de jogar em Manaus e no norte do Brasil, que é quente é úmido. Vai ser complicado para todos os times, principalmente os europeus. Acho até que não sofremos em demasia”, declarou Hodgson.

A Inglaterra foi superior nos primeiros minutos e chegou a assustar com chutes de fora da área, mas a Itália passou a trocar passes na cadência de Pirlo e saiu na frente com Marchisio. Os britânicos empataram logo depois por meio de Sturridge e, no segundo tempo, sofreram um tento fatal de Balotelli.

AFP
O técnico Roy Hodgson elogiou a postura da Itália dentro de campo. Foto: Odd Andersen.
“O resultado foi decepcionante. É difícil ter uma visão positiva na derrota. Temos que digerir o que aconteceu em campo. A sensação foi que fizemos algumas coisas boas e tivemos algumas boas atuações individuais, mas infelizmente o segundo gol não saiu, por mais que tenhamos tentado”, afirmou o técnico.

Ao invés de procurar explicações para a derrota de sua equipe na primeira partida da Copa do Mundo, Roy Hodgson preferiu elogiar a Itália. “Temos que tirar o chapéu para essa equipe, mas jogamos bem. Os atletas deram o máximo e fizeram o possível”, afirmou.

Depois de estrear com temperatura por volta dos 30ºC e umidade relativa do ar na casa dos 69%, a seleção inglesa deve encontrar um clima mais ameno na próxima rodada. Em busca da reabilitação, o time comandado por Hodgson enfrenta o Uruguai na Arena Corinthians, em São Paulo.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade