Futebol Internacional/Bastidores - ( - Atualizado )

Presidente da Associação Ganesa nega envolvimento em esquema

Acra (Gana)

Em nota divulgada nesta segunda-feira, a Associação Ganesa de Futebol (GFA) negou envolvimento com o esquema de manipulação de resultados denunciado pelo canal de TV britânico Channel 4 e o jornal The Telegraph na noite de domingo, após uma investigação que durou seis meses.

“Gostaríamos de assegurar para o público que não vamos tolerar tais distorções da realidade e que iremos buscar medidas legais contra os indivíduos que nos ofereceram o contrato, caso as alegações se comprovem verdadeiras”, afirmou a entidade.

Divulgação
Kwesi Nyantakyi, presidente da GFA, negou envolvimento em esquema fraudulento
A GFA reconheceu que de fato foi procurada pelo agente da Fifa Christopher Antoh Forsythe e pelo membro honorário Obed Nketiah para firmar um contrato de realização de jogos. Segundo a denúncia, o contrato foi oferecido por empresa de fachada ligada a um grupo de apostadores. Em troca do dinheiro dado pelos direitos das partidas, a empresa também seria responsável por designar os árbitros, que estariam envolvidos no esquema, a fim de manipular os resultados dos jogos.

No entanto, a federação alega que não tinha nenhuma informação sobre o suposto esquema de manipulação e que já acionou a Fifa e a Polícia local sobre o caso, negando que o presidente Kwesi Nyantakyi tenha assinado qualquer contrato e que soubesse que os jogos teriam placares já definidos.

“A reportagem dos ingleses não diz toda a verdade. Não concordei com nenhum acordo de manipulação de resultados. Me ofereceram um projeto de contrato, que foi encaminhado para os Comitês Jurídico e Executivo para análise”, se defendeu Nyantakyi.

O vídeo divulgado pelas reportagens, entretanto, mostra Nyantakyi se reunindo com Forsythe e Nketiah, com o trio conversando abertamente sobre o esquema. O presidente da GFA chega a assinar um contrato durante a reunião.