Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Presidente do Flamengo se mostra indeciso com futuro vice de futebol

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

O mandatário flamenguista, Eduardo Bandeira de Mello, não pretende dar uma data certa para anunciar o nome do futuro vice-presidente de futebol. O cargo está sendo acumulado pelo próprio Bandeira desde a saída de Wallim Vasconcellos.

Atualmente a política do Flamengo está dividida em três setores e Bandeira de Mello tem participação em todas as frentes. O ex-presidente Kléber Leite vem tendo muita influência no departamento de futebol, inclusive gostaria de ver a pasta sendo ocupada por seu eterno aliado, o vice-presidente de relações exteriores Plínio Serpa Pinto.

Irritado com a aproximação de Kléber Leite, o ex-presidente Márcio Braga e seu grupo de aliados decidiram agendar uma reunião com Bandeira de Mello, que ocorreu na noite de segunda-feira. Na pauta, há insatisfação com a possibilidade de a pasta ser ocupado por um aliado de Kléber. Na reunião, o presidente disse não ter tomado nenhuma decisão e apresentou a proposta de se criar um conselho responsável pela condução do departamento de futebol.

O pensamento de Bandeira de Mello de criar um conselho está ligado ao crescimento de outra corrente política, liderada pelo vice-presidente de Marketing, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, que ganhou a disputa interna com Wallim e pretende ter maior influência no departamento de futebol. Ele integraria o conselho ao lado de nomes ligados a outras correntes, como Flávio Godinho, que tem o aval de Márcio Braga e do ex-presidente Hélio Ferraz, além de Plínio Serpa Pinto. No caso de um conselho ser criado, Bandeira permaneceria oficialmente como vice-presidente de futebol, já que o cargo não pode ser extinto.

Divulgação/Flamengo
Presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello também ocupa o cargo de vice-presidente de futebol

Outro motivo que tem feito Bandeira de Mello adiar o anúncio é que ele pretende dar muito respaldo do diretor executivo do departamento de futebol, Felipe Ximenes, que está agindo na contratação de jogadores.

“Realmente é importante prestigiar o trabalho do Ximenes, que vem atuando no sentido de melhorar as coisas. Não temos pressa de anunciar e vamos agir com o máximo de calma, até porque não estamos parados. Somos realistas, entendemos que a situação precisa melhorar, mas se não formos coerentes é que as coisas não darão certo mesmo”, disse Bandeira.

Enquanto não se define sobre o futuro do futebol, o presidente vem sofrendo nas mãos da torcida. Um grupo de torcedores realizou um protesto pacífico na noite de segunda-feira em frente à sede do clube, na Gávea. Os principais alvos das manifestações foram o próprio Eduardo Bandeira de Mello e Luiz Eduardo Baptista. Dentre os jogadores, os escolhidos para serem hostilizados foram o goleiro Felipe, o meia Elano e o lateral esquerdo André Santos, que podem ser negociados. Além de mais dedicação dos jogadores, os torcedores cobram a chegada de reforços por parte da diretoria.

O mau desempenho da equipe no Campeonato Brasileiro catalisou a revolta dos fãs. Em nove jogos, a equipe anotou apenas sete pontos e ocupa a vice lanterna da competição, na zona de rebaixamento. Para piorar o quadro, no último jogo antes do recesso o time perdeu de 3 a 0 para o Cruzeiro em uma partida que foi envolvido pelo toque de bola do adversário.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade