Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Seleção da Espanha faz treino-fúnebre no CT do Caju

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Silêncio. Nada de bela jogadas, jogadores animados ou se atirando em busca de um espaço no time. Apenas silêncio e decepção. Sentado sozinho em um canto, o goleiro Casillas apenas olhava para o horizonte, sem perspectiva, retrato de quem sabe que pagará o preço do fim melancólico de uma geração vitoriosa.

Assim, em uma noite gelada na capital paranaense, com sensação térmica de 4ºC, a Espanha fez seu primeiro treinamento após ser eliminada da Copa do Mundo 2014 com a derrota para o Chile, por 2 a 0, no Maracanã. Silêncio, decepção e a dura tarefa de esperar o jogo diante da Austrália, na segunda-feira, na Arena da Baixada, para poder voltar para casa e repensar.

No CT do Caju, a nítida sensação de um velório, um treino-fúnebre, sem pedidos por bola, sem gritos, sem sorrisos. Dentre os visivelmente incomodados, Xabi Alonso se destacava, não escondendo sua irritação e desconforto cada vez que em sua corrida se via diante dos jornalistas. Calado, o técnico Vicente del Bosque apenas observava, inerte, o que pode ser um dos últimos encontros desse grupo e, quem sabe, de sua passagem pela Fúria.

Já sem grandes ambições, o grupo apenas fez um leve treino regenerativo, com alguns titulares já voltando para o hotel após uma leve corrida. Para os que ficaram, o já conhecido rachão em campo reduzido, mas sem dois toques ou qualquer ânimo para disputar.

A Espanha deve voltar a treinar nesta sexta-feira, com a expectativa de terem pelo menos uma tarde de folga, ainda a ser confirmada. Como jogam em Curitiba, já não viajam mais antes da despedida contra os australianos. Na sequência, o grupo volta para a Europa, quando se desfaz. Talvez, em definitivo.