Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Sobis lamenta "dia trágico" e define Fernandão: "Um pai para mim"

Rio de Janeiro (RJ)

Em regime de concentração para o amistoso contra a seleção da Itália, em Volta Redonda-RJ, neste domingo, o atacante Rafael Sobis, que defende o Fluminense, foi duramente golpeado com a notícia da morte de Fernandão. Visivelmente abatido, o dianteiro tricolor definiu o ídolo colorado como um pai e o tratou como a pessoa mais importante para a construção de sua trajetória dentro do futebol.

“A morte do Fernandão uma coisa absolutamente dolorida para mim. Estou perdendo um pai, um amigo, uma das pessoas mais importantes em minha vida. Ele me ajudou, deu conselhos e mostrou-se sempre pronto para me ajudar. É um dia trágico”, disse emocionado, em entrevista ao canal SporTV.

Adiante, Sobis recordou o último encontro com Fernandão, onde voltou a exaltar o caráter do capitão: “Nos falávamos direto, mas pessoalmente a nossa conversa mais recente foi na reinauguração do Beira-Rio. Porém, curiosamente, um dia desses meu empresário disse que ele ligou perguntando de mim. Isso só mostra como ele era gentil. Ele deixou um legado grande e bonito, pois era pai de família e trabalhador. Nunca vi ninguém falar mal dele. Se puder ser 10% do que ele foi, estarei realizado”, discorreu.

Por fim, após expor o sentimento da perda, o atacante confirmou um fato curioso: o tamanho da idolatria de Fernandão. “Ele também dava autógrafos para gremistas. O pessoal tricolor pedia e ele assinava. É uma coisa espetacular. Ele tinha uma forma incrível de viver. Se possuo um caráter, um bom estilo de vida, muito devo a ele, o meu ídolo dentro do futebol”, completou.

Divulgação/Internacional
Sobis entre Fernandão (e) e Clemer: o centroavante foi um conselheiro para o atual dianteiro tricolor

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade