Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Taça de madeira rende gorjeta para escultor argentino bancar tour

Tossiro Neto Rio de Janeiro (RJ)

O escultor Hernan Alberto Soto, de 39 anos, decidiu deixar Buenos Aires para passear pelo Brasil durante a Copa do Mundo. É fã de futebol e torcedor do San Lorenzo, mas não acompanhará a seleção argentina no torneio. Não dentro do estádio, mas de fora, com viagens parcialmente pagas por gorjetas que tem ganhado com uma reprodução da taça da Fifa.

Há dois dias no Rio de Janeiro (cidade em que a Argentina estreia neste domingo, diante da Bósnia), ele comprou uma madeira de pouco mais de um metro a R$ 100, em uma casa de planta carioca, e passou a esculpi-la no formato do troféu, cobiçado pelos 32 times que disputam o principal campeonato de futebol do mundo. "Vou demorar umas duas semanas para terminar", contou.

Apoiada em um latão de lixo laranja da prefeitura, em frente ao Maracanã, a inacabada peça desperta atenção dos torcedores que começam a se aglomerar antes do início da partida. "Posso tirar uma fotografia?", perguntam. Soto faz questão que sim, mas, logo em seguida, retira da cabeça o já suado boné preto e o estica em direção à pessoa. "Una colaboración, por favor", pede. "Money, money", enfatiza, para aqueles que só entendem inglês.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Hernan Alberto Soto veio de ônibus para o Rio de Janeiro e pegará estrada também rumo a Belo Horizonte
Alguns estrangeiros colaboram com valores mais altos até do que argentinos e, se ainda não enche o boné, o montante promete ajudar a chegar ao próximo destino. "Belo Horizonte. Vamos a Belo Horizonte!", sorri o escultor, referindo-se ao local do próximo jogo da Argentina (contra o Irã, no próximo sábado), para o qual seguirá também de ônibus.

Entregue ao vencedor desde a edição de 1974, a Taça Fifa original (que mede 36,8cm, pesa 6,17kg e é composta em 75% de ouro 18 quilates) foi criada em substituição à Taça Jules Rimet - cuja posse definitiva pertencia à Confederação Brasileira de Futebol, pelo fato de o Brasil ter sido o primeiro tricampeão, mas foi roubada da entidade em dezembro de 1983, derretida e vendida.

Com dois exemplares conquistados (1978 e 1986), a Argentina inicia a busca pelo tricampeonato mundial a partir de 19 horas (de Brasília) deste domingo. Seu primeiro adversário será a Bósnia-Herzegovina, seleção que disputa a competição pela primeira vez na história.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade