Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Técnico bósnio da Argélia "desfalca" coletiva e deve deixar o cargo

Porto Alegre (RS)

Uma cena marcou o fim da campanha histórica da Argélia na Copa do Mundo de 2014: o choro do técnico bósnio Vahid Halilhodzic após a derrota na prorrogação, para a Alemanha, pelo placar de 2 a 1. Visivelmente emocionado, o comandante se dirigiu aos vestiários e não foi mais visto. Os jornalistas, que o aguardavam na sala de coletiva, tiveram que se contentar com as frases de Bouguerra e M’Bolhi, goleiro que teve atuação destacada na partida em Porto Alegre.

Ao serem questionados sobre Halilhodzic, ambos adotaram o tom de despedida, sinalizando a saída do bósnio, e o agradeceram pelos serviços prestados. “Se chegamos a esse estágio da Copa, é graças a ele. Hoje nos esforçamos muito, mas infelizmente não conseguimos superar a Alemanha. Depois dessa desclassificação, não posso prever o que vai ocorrer. Só o futuro poderá dizer. Por isso, faço questão de agradecer a ele tudo o que fez por nós”, disse M’Bolhi.

Por sua vez, Bouguerra adotou a mesma ênfase de M’Bolhi, mas esbarrou ao discorrer sobe uma “possível” despedida do experiente comandante: “No futebol há muitos rumores. Por isso, de qualquer maneira, agradeço em nome da Argélia tudo que o Halilhodzic fez. É um trabalho excelente, que nos promoveu visibilidade, disciplina e valores positivos. No final da partida, fizemos questão de o abraçar. Ele merece sair através de uma grande celebração”.

Mesmo com a campanha histórica, o trabalho de Halilhodzic nunca foi unanimidade na Argélia, onde sempre conviveu com críticas e atritos da imprensa. De acordo com o periódico argelino Le Butuer, uma fonte da federação de futebol local sinalizou que o técnico assinou contrato com o Trabzonspor-TUR. Com ele, devem seguir os preparadores físicos Cyril Moine e Sandy Guichar. Assim, o francês Christian Gourcuff deve ser o substituto no cargo.

AFP
Vahid Halilhodzic deve deixar a Argélia e assinar com o Trabzonspor, clube da primeira divisão da Turquia