Futebol - ( - Atualizado )

Técnico da Grécia diz que resultado seria outro sem goleiro da Costa Rica

São Lourenço da Mata (PE)

O técnico Fernando Santos recusou-se a reclamar da sorte da Grécia no confronto com a Costa Rica, preferindo elogiar o goleiro adversário Navas. A equipe buscou o empate por 1 a 1 aos 45 minutos do segundo tempo, mas, mesmo com um a mais, não conseguiu o gol da vitória na prorrogação e foi eliminada nos pênaltis.

“No fim, conseguimos levar o jogo para a prorrogação e colocamos pressão neles, mas não fomos precisos o suficiente, o que é perfeitamente compreensível quando você está cansado e tenso. E o Navas foi brilhante. Sem ele, o resultado teria sido diferente”, afirmou o português.

O goleiro realmente teve atuação destacada. Fez uma defesa cara a cara na etapa inicial, em chute de Salpingidis, e frustrou Mitroglou em chance ainda mais clara, já nos acréscimos do segundo tempo extra. No desempate, pegou o pênalti de Gekas e deixou para Umaña decidir.

AFP
Fernando Santos, que foi expulso antes dos pênaltis, mostrou mais tranquilidade na entrevista
“Não gosto de falar sobre boa sorte ou má sorte. Alguém tem que ser sortudo, e hoje foram eles. Eu os parabenizo por isso”, comentou o treinador, que viu sua equipe crescer ao longo da partida após um mau começo. Não foi suficiente para a classificação às quartas de final.

“Acho que a Costa Rica foi a melhor equipe nos primeiros 15 minutos, mas nós entramos no jogo. Tivemos que assumir mais riscos quando tomamos o gol. Eles se defenderam bem e tentaram nos castigar nos contra-ataques”, analisou o eliminado Fernando Santos.