Futebol/Copa 2014 - ( )

Técnico da Rússia lamenta mais a estreia e ainda confia em vaga

Tossiro Neto, enviado especial Rio de Janeiro (RJ)

A derrota por 1 a 0 para a Bélgica, com gol sofrido aos 42 minutos do segundo tempo, doeu menos em Fabio Capello do que o empate por 1 a 1 com a Coreia do Sul, na estreia da Copa do Mundo. No Maracanã, o treinador da Rússia indicou que o resultado do primeiro jogo é que poderá impedir a classificação para as oitavas de final, com a qual ainda sonha.

"Viemos para uma Copa do Mundo depois de 12 anos. Isso é importante para entendermos o nível de jogo de qualidade que se enfrenta nesse tipo de competição. Já disse isto em outras entrevistas: pagaríamos o preço da estreia", falou o italiano, sem desistir da conquista da segunda vaga do grupo H – a primeira foi assegurada antecipadamente pelos belgas, neste domingo.

"Continuo acreditando, é claro que acredito. Vamos aguardar os resultados dos próximos jogos", enfatizou.

Na próxima segunda-feira, a Rússia (que soma um ponto) precisará vencer a Argélia (na Arena da Baixada, em Curitiba) e contar com ajuda da Bélgica, que, no mesmo dia, enfrentará a Coreia do Sul, na Arena Corinthians, em São Paulo. O tamanho da ajuda necessária, porém, só será conhecido ao final do confronto deste domingo entre sul-coreanos e argelinos, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Após empate e revés, Fabio Capello ainda nutre esperanças de figurar no mata-mata da Copa do Mundo

Lembrado por um jornalista argelino do empate por 0 a 0 entre Argélia e Inglaterra (seleção que Capello dirigiu entre 2007 e 2012), no Mundial anterior, o italiano observou, com elegância habitual, que se trata de outra ocasião.

"Aquela partida foi uma. Agora, não teremos outra oportunidade, e o empate não resolve. Então, temos que jogar para ganhar. Vamos aguardar o resultado do outro jogo de hoje (domingo), esperamos que seja positivo para nós. Aí, ganhando da Argélia, poderemos avançar de fase", comentou o treinador, que, antes disso, havia brincado quando questionado que lição a campanha atual deixava para 2018. "Espere aí, ainda temos esta Copa e a Eurocopa de 2016", sorriu, para reforçar o sentimento de confiança na classificação.