Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Técnico do Irã promete time jogando com honra em sua estreia

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Em uma sala de imprensa concorrida, mas com pontos cegos, apertada, aparentemente improvisada, muito aquém do padrão Fifa, o técnico do Irã, o português Carlos Quieroz falou sobre a expectativa para a estreia da seleção, nesta segunda-feira, diante da Nigéria. E o primeiro desafio é deixar de lado os problemas políticos no país e focar na competição, que será muito mais dura do que foi encontrado nas Eliminatórias.

“Nós temos muito orgulho do que fizemos durante a fase de classificação, apesar das dificuldades que o Irã está passando no momento na esfera internacional, e nos classificamos na primeira colocação. A partir daí saibamos que jogara a Copa é outro nível”, disse o treinador, prometendo um time jogando com honra. “Vamos fazer isso com orgulho e honra, com o máximo de alegria para os torcedores”, completou.

Para isso, Quieroz já escalou seu principal destaque, ou seja, o futebol coletivo. “Nós sabemos que a equipe da Nigéria tem muito craques, que jogam na Europa, um grande técnico, e uma grande vantagem histórica em relação à experiência. Mas, também temos um craque em nossa seleção: o espirito de equipe”, garantiu.

Português e sentindo o apoio na capital paulista, local de concentração da equipe, o comandante iraniano espera por torcida no estádio, se não por bom futebol, por simpatia. “Espero que sim. Nossa opção por ficar no Corinthians, em São Paulo, foi magnífico. Agora espero que a torcia do São Paulo, do Palmeiras, do Flamengo, não fiquem aborrecidas e apoiem o Irã. Somos uma equipe simples, que enfrentou dificuldades para estar aqui e não chegamos aqui por sorteio”, concluiu.

AFP
Carlos Quieroz promete que sua equipe jogará com honra e disposição para sair vencedora

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade