Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Técnico quer despedida honrosa de Camarões após “situações prejudiciais”

Vitória (ES)

Ameaçado no cargo após duas atuações desastrosas na Copa do Mundo, o treinador Volker Finke quer ao menos uma despedida honrosa da seleção de Camarões contra o Brasil, nesta segunda-feira, às 17 horas (de Brasília). De acordo com o comandante, que vem sendo constantemente cobrado pela imprensa de seu país, o time africano não pode deixar a impressão passada nas derrotas anteriores.

“O terceiro jogo é especial, de certa forma. É impossível deixar a Copa do Mundo com todos tendo a impressão de que o nível de Camarões é esse que tivemos contra México e Croácia. Essa é a nossa motivação, provar que podemos fazer mais”, alegou Volker Finke, que alegou sonhar em surpreender o Brasil.

“Creio que não viemos ao Brasil como favoritos, mas como todas as equipes nós também sonhávamos com uma boa Copa do Mundo. Sonhar faz parte do futebol. Não foi possível nos classificarmos, mas vamos tentar uma boa despedida”, acrescentou o treinador, que passou por situações complicadas antes do Mundial.

AFP
Volker Finke quer ao menos uma despedida honrosa de Camarões contra o Brasil, nesta segunda-feira
Logo na estreia, Camarões não sofreu uma derrota ainda pior porque o árbitro anulou dois gols legítimos do México, fazendo que a partida terminasse apenas 1 a 0. No segundo compromisso, a Croácia passou, fez 4 a 0, o volante Song perdeu a cabeça, agrediu um jogador adversário e foi expulso de campo. Além disso, o time demorou a chegar ao Brasil porque o grupo não entrava em acordo por causa da premiação.

“Os treinadores sempre são responsáveis pelos maus resultados. Mas todos sabem que aconteceram muitas coisas desde a preparação que não nos permitiram nos concentrarmos totalmente, 100% no objetivo. Não é novidade para ninguém, já analisamos isso antes, e nem é desculpa. Mas realmente aconteceram situações prejudiciais”