Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Torcedores fazem concentração tranquila para o jogo da Seleção no DF

Helder Júnior, enviado especial Brasília (DF)

Parecia um feriado qualquer em Brasília. Havia movimentação de turistas na tradicional feira da torre de TV, onde policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) do Distrito Federal degustavam pastéis, e quase nenhuma algazarra no trajeto para o Mané Garrincha, horas antes de o Brasil enfrentar Camarões, nesta segunda-feira.

Muitas pessoas até aproveitaram o isolamento imposto pela Fifa ao redor do estádio, que receberá o último jogo da Seleção no grupo A da Copa do Mundo, para se distrair. Garotas passearam de patins ao lado de ciclistas, com as avenidas largas da capital federal somente para eles. Muitos pais também deram uma volta pelo asfalto com os filhos recém-nascidos em carrinhos de bebê.

Na torre de TV, além da maior atividade do comércio, um letreiro gigante serviu para animar os torcedores. Muitos tiraram fotografias em frente à inscrição “Eu amo (havia um coração no lugar do verbo) Brasília”, instalada ali na véspera. Poucos pareciam ansiosos para o jogo contra Camarões.

No horário do almoço, a maior concentração de torcedores se deu no Brasília Shopping, próximo ao Mané Garrincha. Conseguir uma mesa para comer na praça de alimentação aparentava ser missão muito mais complicada do que a Seleção confirmar a sua classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Torcedores da Seleção Brasileira almoçaram perto do estádio sem que fossem incomodados
Mais perto do estádio, a alegria do público vestido com camisas do Brasil era um pouco maior – não a ponto de lembrar, por exemplo, o que ocorreu em Fortaleza antes do empate sem gols com o México, que atraiu um grande número de turistas ao Nordeste.

Desta vez, o time adversário da Seleção quase não tinha público. Um pequeno número de camaroneses, quase sempre reservados, juntou-se aos torcedores brasileiros na calmaria que reinava no Distrito Federal.