Futebol/Copa 2014 - ( )

Treinador do Chile vê margem de erro pequena demais para sonhar

Tossiro Neto Rio de Janeiro (RJ)

De torcedores a jornalistas, o povo chileno está empolgado pela vitória de quarta-feira sobre a Espanha, a primeira na história do confronto e que, além de garantir classificação às oitavas de final, eliminou o rival da Copa do Mundo. Mas o treinador da seleção é mais contido.

"Sinceramente, não penso que o Chile possa ser campeão. Vejo seleções de excelente nível. Sei que nós temos que pensar jogo a jogo, temos que ter no próximo jogo a mesma concentração que tivemos agora", comentou o argentino Jorge Sampaoli, com o argumento de que precisa jogar sempre no limite para superar os adversários.

"A margem de erro é muito pequena", explicou, na esperança de que as falhas continuem sendo poucas. "Esperamos jogar com a humildade e o sacrifício que tivemos hoje (quarta-feira). Assim, de forma coletiva, certamente poderemos ser competitivos contra qualquer um".

Fernando Dantas/Gazeta Press
Chilenos venceram os espanhóis pela primeira vez na história, na tarde de quarta-feira, no Maracanã
Em oito participações anteriores, a melhor campanha do Chile foi a terceira colocação obtida em 1962, quando sediava o torneio e venceu a Iugoslávia depois de ter perdido na semifinal. O campeão naquela ocasião foi o Brasil, que desta vez é o anfitrião da competição e pode ser o adversário do time de Sampaoli nas oitavas de final.

A definição sairá na próxima segunda-feira, quando os grupos A e B terão seus últimos jogos. Para tentar fugir da equipe pentacampeã mundial, candidata a passar em primeiro lugar na sua chave, o Chile buscará uma vitória sobre a Holanda, em São Paulo, pois está empatado em pontos com o time europeu, mas leva desvantagem no saldo de gols.