Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

"Virilidade" sérvia deixa técnico do Brasil temeroso com lesões

Tossiro Neto Teresópolis (RJ)

A Sérvia não é o adversário que Luiz Felipe Scolari imaginava para o último amistoso da Seleção Brasileira antes da Copa do Mundo. Nesta quinta-feira, mesmo dia em que confirmou ter sido imposição  da presidência da Confederação Brasileira a escolha de São Paulo como local do jogo, o treinador demonstrou receio de que algum atleta se machuque.

"Normalmente, o técnico da Seleção analisa o adversário que quer jogar na véspera. E é uma equipe mais fraca, uma equipe com a qual a gente não corra tantos riscos de lesão. Acho que a Sérvia é bem mais forte e marca de uma forma que pode ser viril. A gente vai ter que ter cuidados, e o árbitro vai cuidar disso aí", disse.

Felipão não fala da boca para fora. No discurso de terça-feira com o elenco, depois da goleada sobre o Panamá, em Goiânia, o primeiro agradecimento da reza no vestiário foi o fato de nenhum dos jogadores ter se lesionado durante o amistoso.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Luiz Felipe Scolari tem receio de que a força da Sérvia possa machucar algum atleta seu antes da Copa
O planejamento inicial da comissão técnica, que escolheu a Sérvia por ser uma seleção da mesma escola da Croácia (rival da estreia na Copa, em 12 de junho), era marcar a partida para a semana passada, o que daria ao departamento médico um tempo maior para recuperar algum atleta que eventualmente se machucasse.

"Só que, pelos acertos, não conseguimos, tivemos que fazer dessa forma. Respeitamos a Sérvia, porque tem ótimos jogadores, mas marca muito forte. Vamos ver se conseguimos terminar com um resultado positivo e sem nenhum problema de lesão. Se pudesse escolher - muitas vezes, eu posso; em outras, não -, teria jogado na semana passada", falou Felipão.

Depois de o volante Paulinho se recuperar de entorse no tornozelo esquerdo, sofrida durante treinamento, todos os 23 convocados pelo treinador têm condições físicas de atuar nesta sexta-feira, no Morumbi. A única possível baixa é o meia Oscar, liberado da concentração para acompanhar o nascimento da filha, no interior de São Paulo.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade