Futebol/Copa do Mundo - ( )

Argentina mede forças contra a Bélgica para superar tabu de 24 anos

Do correspondente Wanderson Lima Brasília (DF)

Depois de superar a Suíça com dificuldades, a Argentina terá que superar um tabu que já dura mais de duas décadas se quiser continuar sonhando com a conquista da Copa do Mundo. Os comandados de Alejandro Sabella enfrentam a Bélgica, neste sábado, às 13h, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pelas quartas de final, fase que os argentinos não ultrapassam há 24 anos.

Desde 1990, quando a Argentina chegou à decisão contra a Alemanha que a equipe não consegue passar pelas quartas de final da Copa do Mundo. Nas últimas quatro edições do Mundial foram três eliminações justamente nesta fase, trauma que os sul-americanos querem acabar diante dos belgas.

O volante Mascherano acredita que os companheiros tem que ter equilíbrio emocional para vencer a Bélgica e ficar ao menos entre os quatro melhores do mundo. O jogador lembra que a Argentina encontrou muito problemas contra a Suíça, e que dificilmente terá outra partida com tantas dificuldades, por isso, pede cabeça fria na hora de decidir.

“Temos de ter a cabeça fria, analisar os pontos em que podemos melhorar. Copa não se ganha com emoção, e sim com a cabeça, com inteligência. Poucos jogos serão mais duros do que este. Ninguém vai se expor. Vão buscar situações de contra-ataque. Nessas oitavas de final, tirando o Chile, não vi uma seleção que pressionou o rival em seu campo de defesa. Não é uma crítica, mas esse Mundial está com essa característica”, declarou.

Sobre o time que vai entrar em campo, Alejandro Sabella faz mistério e só deve divulgar a escalação minutos antes do jogo em Brasília. Rojo recebeu o segundo amarelo contra a Suíça, e na mesma partida deixou o campo mais cedo para a entrada de Basanta, que é o mais cotado para entrar na equipe. Sabella, porém, não quis entrar detalhes sobre a escalação e pode, inclusive, mudar o esquema tático.

AFP
Duelo entre Argentina e Bélgica marca o encontro dos camisas 10 Lionel Messi e Eden Hazard

Atletas como Biglia, Demichelis e Palacio podem aparecer no time como novidade. Vale lembrar que Aguero com lesão muscular está fora do jogo contra os belgas. Contra a Suíça Lavezzi foi o escolhido de Sabella para começar a partida, mas não teria agradado o treinador, e acabou substituído no decorrer do jogo.

Se a Argentina não consegue passar pelas quartas há 24 anos, a Bélgica não chegava tão longe desde 1986, quando avançou até as semifinais e perdeu justamente para os argentinos, que contavam com Maradona. Agora os Diabos Vermelhos querem dar o troco, e o técnico Marc Wilmots quer explorar os pontos fracos do adversário para vencer, mesmo sabendo que os sul-americanos são os favoritos.

“Vi zagueiros que jogam muito bem, o Messi e o Di Maria. Há também uma falta de equilíbrio na equipe deles. Tiveram chances contra a Suíça. Não somos os favoritos, mas não me importa, queremos ganhar. Queremos chegar até a final e é o que vamos tentar. Tenho certeza que vamos jogar bem. Teremos um adversário mais forte, mas todos estão em nível muito alto e os detalhes é que farão a diferença”, afirmou Wilmots.

FICHA TÉCNICA
ARGENTINA X BÉLGICA

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 05 de julho de 2014, sábado
Horário: 13h (de Brasília)
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Assistentes: Renato Faverani e Andrea Stefani (ambos da Itália)

Argentina: Romero; Zabaleta, Garay, Fernández e Basanta; Mascherano, Gago (Biglia) e Di María; Messi, Higuaín e Lavezzi
Técnico: Alejandro Sabella

Bélgica: Courtois; Alderweireld, Van Buyten, Kompany e Vertonghen; Witsel, Fellaini, Mertens, Hazard e De Bruyne; Origi
Técnico: Marc Wilmots