Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Com salários atrasados, clima de tensão toma conta de treino do Bota

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

Um dia depois de o elenco se recusar a viajar para participar do amistoso contra o Botafogo-PB, que marcaria a reinauguração do Estádio Almeidão, em João Pessoa (PB), os jogadores do Botafogo participaram de um treino na manhã desta quinta-feira no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan), na Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro (RJ). A atividade foi marcada sob um clima de tensão, pois a cada dia se torna visível a insatisfação dos atletas, que estão com dois meses de salários atrasados.

No próximo dia 5 o terceiro mês sem receber estará completo, mas a diretoria deverá pagar nesta sexta-feira um mês com o auxílio do Sindicato de Empregados de Clubes (Sindeclubes). Com as verbas todas bloqueadas, o Alvinegro deverá conseguir a liberação de R$ 250 milhões para colocar um mês em ordem. Isso evitaria uma debandada na Justiça, já que os atletas podem solicitar o rompimento de contrato após três meses sem receber.

A artimanha da diretoria tem causado ainda mais irritação no grupo, pois cinco meses dos direitos de imagem, que não constam em carteira e não podem ser reclamados judicialmente estão atrasados, além de algumas premiações referentes à classificação na Copa Libertadores. Em bora nenhum jogador tenha manifestado o desejo de ingressar na Justiça ou deixar o clube, a insatisfação é enorme.

No treino desta quinta-feira os jogadores trabalharam normalmente. Porém, nenhum dirigente foi visto no Cefan, ao contrário do que vinha acontecendo. Sempre presente nos momentos de crise, mesmo para dizer que não tem dinheiro, o presidente Maurício Assumpção também não apareceu no Cefan. O atacante Wallyson foi a ausência entre os jogadores, já que foi liberado para resolver problemas particulares. O lateral esquerdo Julio Cesar e o atacante Emerson Sheik ficaram fazendo tratamento médico por conta de dores na perna esquerda. Sheik, por sinal, é o único jogador com os salários em dia, pois seu pagamento é feito integralmente pelo Corinthians por conta da transferência do meia uruguaio Lodeiro para o Parque São Jorge.

Divulgação
Diretoria e elenco profissional do Botafogo vivem crise por atraso nos vencimentos(Foto: Satiro Sodré/SSPress)

Após a atividade, no momento de um jogador ir para as entrevistas coletivas, o lateral direito Lucas caminhou para o local, mas informou que não ia responder a nenhuma pergunta sobre o tema. O fato acabou fazendo cair o interesse pela entrevista, que acabou não acontecendo.

Ainda em relação à recusa do grupo em viajar, a diretoria não se posicionou. É possível que venha a emitir uma nota oficial. Apontado internamente como o principal líder do movimento, o zagueiro Bolívar pode até mesmo ter o contrato rescindido. Mas isso só acontecerá após o clube conseguir colocar em dia a folha salarial. A saída do jogador só não aconteceu no mês passado por conta da intervenção de líderes do plantel, como o goleiro Jéfferson.

Nesta sexta-feira está previsto um novo treino no Cefan, na parte da manhã. No sábado acontece um jogo-treino contra o JC Soccer. Na próxima quarta-feira está previsto um amistoso contra o Madureira, que disputa a Série C do Campeonato Brasileiro.

Dentro de campo o Botafogo só volta a jogar pelo Campeonato Brasileiro no dia 16 de julho, quando visita o Sport na Ilha do Retiro, em Recife (PE), pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. A partida está prevista para às 19h30(de Brasília). O Botafogo é o 13º colocado do Campeonato Brasileiro, com nove pontos conquistados, apenas dois a mais que a zona de rebaixamento.