Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Com time jovem, Doriva tentar colocar "pitada de Ituano" no Furacão

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

As cores são as mesmas, mas os desafios de Doriva, que se destacou no primeiro semestre à frente do Ituano, no Campeonato Paulista, serão ainda maiores no comando do Atlético Paranaense, que se prepara para volta ao Campeonato Brasileiro, dia 16, contra o Flamengo. Em sua primeira entrevista como treinador do time da Baixada, o paralelo entre os dois trabalhos foi inevitável, apesar de esta vez ter em mãos uma equipe menos experiente.

“Estou conhecendo o grupo, mas as primeiras impressões foram ótimas. É um grupo com muito potencial, apesar de jovem", afirmou o treinador, que espera repetir, com as devidas adaptações, o estilo implantado na equipe paulista. “Como a gente jogava em Itu é uma maneira que eu gosto e que com certeza a gente vai tentar. Logicamente, você tem atletas com perfis diferentes. Aqueles atletas habituaram-se rapidamente à maneira minha de trabalhar, assimilaram e, principalmente, se comprometiam a fazer aquela proposta que a gente colocava”, emendou, dando a dica aos jogadores que lutam por espaço.

Divulgação/C. Atlético Paranaense
"Estou conhecendo o grupo, mas as impressões foram ótimas", disse Doriva (Foto: Gustavo Oliveira)
O comandante rubro-negro, atento às tendências do futebol mundial, falou sobre sua filosofia de jogo, que já começou a testar durante a intertemporada com o lenço do Furacão. "O futebol moderno exige uma equipe que saiba se defender bem, que saiba o momento certo de atacar, que consiga manter a posse de bola ofensiva, que consiga jogar. Quando tem a possibilidade, ela propõe o jogo, mas, quando precisa se defender, ela defende agrupada. A receita para o sucesso é você ter um time assim, que se doe e que coopere dentro de campo", explicou.

Com pés no chão, Doriva espera encontrar algumas dificuldades e, mesmo com a equipe na 12ª colocação, com 13 pontos, ainda está preocupado coma degola. Se conseguir superar os primeiros jogos, aí sim o pensamento será repetir a campanha de 2013. “Temos que pensar em se manter na primeira divisão. À medida que as coisas forem acontecendo, que o time for ganhando confiança e um espírito vitorioso, aí você começa a ambicionar algo mais. Ano passado, a equipe surpreendeu e conseguiu chegar à Libertadores. A gente espera repetir”, concluiu.