Futebol/ Brasileiro Série A - ( )

Desempenho ruim de Fred na Copa deve mantê-lo no Fluminense

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

O péssimo desempenho do atacante Fred na Copa do Mundo de 2014 deverá dificultar a sua saída do Fluminense e o clube carioca já trabalha com a manutenção do craque, que vinha negociando inclusive a ampliação do tempo de vínculo com o Tricolor. Apesar de o presidente Peter Siemsen e dos diretores de futebol não falarem abertamente, a goleada de 7 a 1 sofrida para a Alemanha foi vista como o fim das especulações que envolviam a transferência do artilheiro para o mercado europeu e a certeza de que o mesmo vai permanecer nas Laranjeiras.

Antes da Copa do Mundo começar Fred chegou a dar algumas entrevistas a jornais italianos, que toda a semana tratavam do interesse de clubes como Internazionale de Milão, Roma e Lazio no jogador. A situação fez com que o atleta tratasse com a diretoria da renovação de seu contrato em uma situação confortável. Pediu aumento de 50% e um contrato por mais três anos, que chegaria ao fim somente quando ele tivesse 34 anos.

A diretoria ficou de analisar o pedido de Fred, mas evitou dar qualquer resposta antes de a Copa do Mundo começar. A estratégia era realmente ver o desfecho da situação. Com apenas 20% dos direitos federativos do artilheiro, o Fluminense se tornou refém da decisão do empresário Celso Barros, presidente da Unimed, principal patrocinadora do clube e detentor dos demais 80%. O empresário entendia que o Mundial seria um divisor de águas.

As indefinições adiaram algumas decisões que envolviam outros jogadores, como a liberação do empréstimo do atacante Michael ao Criciúma, oficializada apenas no fim de semana. Caso Fred fosse negociado, o jovem permaneceria nas Laranjeiras para assumir a reserva de Walter, que herdaria o posto de Fred. A própria situação de Walter muda. Antes do Mundial o jogador chegou a reclamar da reserva após a vitória de 1 a 0 sobre o Palmeiras, mas se acalmou ao ser lembrado que Fred deveria ser negociado após a Copa do Mundo, algo hoje visto como praticamente impossível.

AFP
Com apenas um gol na Copa do Mundo (contra Camarões), Fred terá mais dificuldades em um retorno para Europa

Nas Laranjeiras todos tratam do assunto com muita cautela, pois ninguém pretende desvalorizar um patrimônio do clube.

“O Fred é um ídolo e o que aconteceu na Copa do Mundo não pode manchar a sua história no Fluminense. Ele vai carregar essa tristeza, mas é um vencedor na profissão, que poderia parar de trabalhar hoje sem enfrentar problemas”, disse Peter em entrevista ao jornal "Extra" do Rio de Janeiro.

Nelson Perez/Fluminense FC
O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, afirmou que o vexame da Seleção Brasileira não pode apagar a história do atacante no time carioca

O carinho que o Fluminense pode oferecer é algo que Fred pretende aceitar.

“Neste momento o que vai mais nos confortar é o carinho das pessoas que estão próximas. A decepção é total, pois foi a pior partida da nossa história”, disse Fred logo depois o humilhante 7 a 1 para a Alemanha.

Segundo o planejamento da comissão técnica, após a Copa do Mundo o jogador ganhará alguns dias de descanso e terá um trabalho físico diferenciado, ficando á disposição de Cristóvão Borges somente 15 dias depois do Mundial.

Dentro de campo o elenco trabalhou na manhã desta quinta-feira, nas Laranjeiras, contando com o retorno de Walter, afastado dos dois últimos dias por conta de uma cirurgia dentária. Já o meia Wágner, reclamando de dores na coxa direita, trabalhou em separado do grupo. O volante Diguinho, com dores no tornozelo direito, mais uma vez não treinou e já preocupa para a partida diante do Criciúma, na próxima quarta-feira, em Santa Catarina, pelo Campeonato Brasileiro. Nesta sexta-feira, o elenco treina pela manhã e no sábado, às 9 horas (de Brasília), tem jogo-treino com o Madureira-RJ, que disputa a Série C do Campeonato Brasileiro.