Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Diretor acha maldade rotular reforço por causa de Carlos Leite

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O diretor de futebol do Corinthians, Ronaldo Ximenes, incomodou-se quando o zagueiro Anderson Martins foi questionado sobre o fato de ser agenciado por Carlos Leite, que também trabalha com Mano Menezes. O dirigente ouviu a resposta do atleta sobre o assunto, aguardou por mais alguns instantes e interrompeu a entrevista do reforço, afirmando que todos têm direitos e deveres iguais no clube.

“Tem muita gente que acaba fazendo essa maldade de vincular o agente do técnico com o fato de o jogador ser também agenciado por aquele representante. Mas, no Corinthians, a cobrança e os direitos são iguais para todos. Os jogadores do Carlos Leite aqui são Cássio, Romarinho e Gil, que são incontestáveis. E o Anderson Martins também é incontestável. Não vejo essa coisa que o pessoal coloca de Carlos Leite”, afirmou o dirigente, blindando o atleta de qualquer polêmica.

Apresentado oficialmente nesta sexta-feira, o próprio Anderson Martins afirmou que, independentemente de seu empresário, precisa comprovar em campo que tem condições de atuar pelo Corinthians.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Ronaldo Ximenes apresentou o zagueiro Anderson Martins, que é agenciado por Carlos Leite
“O Corinthians está muito acima de tudo isso, sabemos o que representa no Brasil e no mundo. O que vai determinar é o que farei em campo. Não tem pressão nenhuma por isso, a cobrança aqui é sempre grande. Preciso ficar preparado e encarar cada jogo como uma final”, comentou.

O zagueiro foi emprestado pelo Al-Jaish ao Corinthians por uma temporada e, como já vinha treinando no CT Joaquim Grava, garante estar pronto fisicamente para ficar à disposição de Mano Menezes na retomada do Brasileirão, dia 17, contra o Internacional.

“Já estou treinando há um tempo”, justificou. Ronaldo Ximenes, por sua vez, acredita que não haverá problema de documentação para a estreia, já que a janela de transferências será aberta dia 14. “Não deve levar mais do que esses dias”, comentou.