Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Feliz com fim da "mística das quartas", Júlio defende emoção na Seleção

Fortaleza (CE)

Culpado pela eliminação do Brasil na última Copa do Mundo, Júlio César começou sua redenção sendo decisivo na vitória sobre o Chile nas oitavas de final. Faltava ainda superar as quartas de final – fase da má atuação contra a Holanda em 2010 –, algo obtido no triunfo por 2 a 1 sobre a Colômbia.

“Pensei comigo: ‘Tem que acabar com a mítica das quartas’. É uma sensação legal, mas ainda não acabou. O próximo passo vai ser mais difícil ainda, temos duas pedreiras pela frente”, disse à Fox Sports o goleiro, que era reserva da Seleção eliminada também nas quartas em 2006.

Desta vez, Júlio conteve as lágrimas, assim como seus companheiros – exceção feita a Neymar, mas seu choro foi de dor por uma joelhada nas costas. O camisa 12, que terminou as oitavas de final aos prantos, defendeu a emoção demonstrada pelos atletas na busca pelo hexa.

AFP
Júlio César quer a Seleção jogando com o coração nas partidas que a separam do título
“Um amigo meu lembrou que os jogadores da Seleção eram cobrados por não se entregar, que eram ricos e não ligavam. Agora, os jogadores se emocionaram, ganharam o carinho do torcedor, e começou a ser falado que são emocionalmente desequilibrados. É difícil entender o que é bom e o que não é”, comentou.

É “com coração, não frio”, que o time verde-amarelo chegará à semifinal contra a Alemanha, segundo Júlio César. “Vamos brigar. Como falei, temos uma pedreira pela frente, mas o grupo vai jogar essa semifinal com muito espírito”, concluiu o goleiro brasileiro.