Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Ficar entre os quatro pela 3ª vez já satisfaz técnico da Alemanha

Tossiro Neto, enviado especial Rio de Janeiro (SP)

O triunfo sobre a França, na sexta-feira, garantiu a participação de Joachim Low pela terceira vez em uma semifinal de Copa do Mundo. Após atuar como assistente de Jurgen Klinsmann, em 2006, ele está pela segunda edição consecutiva no grupo dos quatro melhores como o técnico principal da seleção.

"Vamos ver como vamos continuar. As equipes das semifinais são aquelas com as maiores qualidades. Estivemos há bastante tempo nas últimas Copas entre os quatro. É uma atuação incrível para um país, para uma seleção, se classificar em todos os últimos torneios entre os semifinalistas", comemorou, ainda no Maracanã.

São poucos os títulos importantes carreira do treinador, que ganhou a Copa da Alemanha de 1996/1997, pelo Stuttgart, e têm também outros dois títulos nacionais do futebol austríaco. Pela seleção alemã principal, Low foi terceiro colocado no Mundial de 2010 (mesma campanha de 2006, quando era auxiliar de Klinsmann), além de ter sido vice-campeão da Eurocopa de 2008 e de ter caído na semifinal de 2012.

"Títulos são excelentes, e nossos jogadores, principalmente os do Bayern de Munique, já chegaram a títulos como o da Champions League. É algo importante para eles", respondeu, quando questionado sobre o fato de a Alemanha estar entre os quatro pela quarta vez seguida – em 2002, a equipe só parou na decisão, para o Brasil. Uma resposta curiosa, na qual estranhamente não se incluiu.

AFP
"É bom ter algumas mudanças na equipe, que já vem jogando em alto nível há 8, 10 anos", disse Low
O fato é que Low tem participação importante na presença da Alemanha entre os semifinalistas mais uma vez, a segunda em que ele trabalha como treinador principal e é o responsável pela convocação dos jogadores.

"A equipe vem mudando. Não temos todos os mesmos jogadores (de 2010). É bom ter algumas mudanças na equipe, que já vem jogando em alto nível há oito, dez anos. Não se pode esperar que os jogadores consigam sempre isso, mas essa consistência é importante, estamos trabalhando de maneira exitosa e com uma preparação boa. Temos jogadores excelentes, isso é o que explica", avaliou, antes de conhecer o próximo rival.

Quatro horas depois da vitória sobre a França, o Brasil derrotou a Colômbia e se definiu como o próximo adversário. Um adversário que, em 2002, ganhou o título sobre a Alemanha.