Futebol/Copa do Mundo - ( )

Fifa libera 10 árbitros, mas mantém 15 disponíveis para a final

Zurique (Suíça)

A Fifa anunciou nesta segunda-feira a liberação de 10 árbitros da Copa do Mundo de 2014, descartados para os jogos finais da competição. Outros 15 trios de arbitragem, no entanto, seguem disponíveis para as últimas partidas do Mundial.

Sem fugir de polêmica, a entidade manteve árbitros envolvidos em decisões contestadas, como o japonês Yuichi Nishimura, que apitou a abertura da Copa, entre Brasil e Croácia. Na partida, foi duramente criticado pela delegação europeia por assinalar um pênalti duvidoso no atacante Fred, que acabou contribuindo para a vitória por 3 a 1 da Seleção Brasileira.

Também segue na lista o mexicano Marco Antonio Rodríguez, árbitro da partida entre Itália e Uruguai, que ficou marcada pela mordida de Luis Suárez em Giorgio Chiellini, não vista pelo juiz, que ainda foi criticado pela expulsão em Claudio Marchisio. Rodríguez, no entanto, dificilmente apitará a final, já que foi escalado para a semifinal entre Brasil e Alemanha, na terça-feira.

Carlos Velasco Caballo, contestado por não punir a dura entrada de Juan Zuniga em Neymar, que acabou tirando o brasileiro da Copa, também permanece à disposição da Fifa. A entidade, no entanto, dispensou o trio liderado pelo colombiano Wilmar Roldan, que apitou a partida entre México e Camarões, marcada pela anulação de três gols.

AFP
Árbitro da polêmica abertura entre Brasil e Croácia, Nishimura ainda tem chances de apitar jogos finais da Copa

Sandro Meira Ricci, único representante brasileiro na lista, foi mantido, assim como o inglês Howard Webb, que apitou a final da Copa do Mundo de 2010, entre Espanha e Holanda. Até a manha desta segunda-feira, a entidade ainda não confirmou o árbitro da semifinal entre Argentina e Holanda.