Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Habitual, pressão sobre Alemanha não incomoda Kroos e colegas

Tossiro Neto, enviado especial Rio de Janeiro (RJ)

Ser colocado como favorita para a partida desta sexta-feira, contra a França, não é algo que incomode ou deixe a seleção da Alemanha pressionada demais. Na opinião de Toni Kroos, ele e seus companheiros estão acostumados e lidarão bem com isso, no Maracanã.

"Não é algo novo para nós. A pressão está aí porque somos jogadores de elevado nível e temos capacidade para fazer muita coisa. No nosso país, todos querem que ganhemos a Copa. Qualquer coisa além disso seria uma derrota", disse o jogador de 24 anos, com absoluta tranquilidade e confiança.

"Temos todas as chances. Estamos na Copa ainda e já mostramos com frequência que podemos lidar com pressões e expectativas. Espero que possamos seguir neste caminho amanhã (sexta-feira)", acrescentou o meia, que desperta interesse do Real Madrid, atual campeão europeu, e poderia até já ter firmado um acordo, mas preferiu não falar sobre esse assunto ao ser questionado novamente sobre ele.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Meio-campista de 24 anos disse que a Alemanha está acostumada a lidar com pressão e expectativas
"Não posso comentar cada artigo de jornal. Não darei nenhuma informação, não quero perder o foco. Uma vez que a Copa terminar, uma decisão será tomada e anunciada. Não posso confirmar nenhum tipo de acordo, nada mais. Isso não vai acontecer durante a Copa”, desconversou o alemão, que pertence ao Bayern de Munique, e quer se manter concentrado apenas no próximo adversário.

"A França é um adversário de elevadíssimo nível. Sabemos o que vamos enfrentar. Eles têm jogadores 'top', já mostraram isso por sua seleção. É um time muito compactado, muito unido, com um meio-campo muito forte. Será muito importante termos a posse de bola. Acho que isso é o que vai definir a partida. Esse é o nosso objetivo", concluiu o camisa 18.

Como nas semifinais de 1982 e 1986, ocasiões em que a Alemanha saiu vitoriosa, ou na disputa pelo terceiro lugar de 1958, conquistado pela França, os rivais europeus voltam a se enfrentar em um Mundial a partir de 13 horas (de Brasília) desta sexta-feira, no Maracanã.