Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Júlio César afirma que sofre tanto quanto em 2010 em sua última Copa

Helder Júnior, enviado especial Belo Horizonte (MG)

O goleiro Júlio César transparecia serenidade depois de o Brasil ser humilhantemente goleado por 7 a 1 pela Alemanha em uma semifinal de Copa do Mundo. Ao contrário de quando saiu como vilão da derrota para a Holanda no Mundial passado, o veterano de 34 anos não demonstrou a sua decepção por ter de encerrar a carreira sem um título mundial pela Seleção Brasileira.

“Isso faz parte de um processo de amadurecimento, até por causa de tudo o que aconteceu comigo”, explicou Júlio César, referindo-se às críticas pelas falhas de quatro anos atrás. “Mas o sentimento é exatamente o mesmo, de tristeza, até por ser a minha última Copa. É muito complicado”, disse.

Nos momentos de alegria da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, no entanto, Júlio César agiu de forma diferente. Ele chorou bastante antes e depois de ser o herói da classificação sobre o Chile, também no Mineirão, em uma disputa de pênaltis nas oitavas de final.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Com sete bolas buscadas na rede, Júlio César não demonstrou a mesma tristeza de 2010
Para Júlio César, o fato de o Brasil contar com muitos novatos contribuiu para que a sua emoção não fosse outra vez de alegria nesta terça-feira. “A Alemanha é uma seleção que joga junta há bastante tempo, e isso facilita. Não é desculpa, mas eles estão entrosados há oito anos, jogando duas semifinais de Copa do Mundo, com uma força tática enorme. Já o Brasil foi montado há um ano e meio, mesmo com esses jovens tendo feito coisas extraordinárias, como ganhar a Copa das Confederações em casa”, comparou.

Júlio César só não quis criar polêmica com quem está à frente do processo de reformulação da Seleção Brasileira, os dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “Quem pode falar sobre isso é um treinador. É melhor. Qualquer coisa que eu comentar pode ter uma dupla interpretação”, justificou o veterano goleiro do modesto Toronto FC, do Canadá.