Futebol/Bastidores - ( )

Kaká pede reformulação no futebol e espera conhecer melhor Bom Senso

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

Em sua primeira entrevista coletiva no retorno ao São Paulo, o meia Kaká manifestou sua preocupação com a situação atual do futebol brasileiro. O jogador entende que é preciso reformular o esporte no País e ainda demonstrou interesse de conhecer melhor o Bom Senso FC.

“Tenho conversado com o pessoal do Bom Senso, com Rogério, Paulo André, Juan, Dida... Não me posicionei antes porque estava fora, mas quero entender como funciona, quem está envolvido... A princípio, acho uma excelente ideia, porque não é voltada para o atleta, mas para o espetáculo. Vou poder estar mais perto agora”, comentou.

Formado por jogadores, o Bom Senso cobra mudanças no calendário do futebol nacional e também responsabilidade financeira das equipes. Independentemente do grupo, Kaká defende que é preciso reorganizar o esporte no Brasil.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Kaká diz já ter conversado com alguns integrantes do Bom Senso, mas espera conhecer melhor
“Pelo que tenho acompanhado, o futebol brasileiro precisa de algumas mudanças, principalmente no calendário de jogos, porque isso diminui a condição técnica do jogador. Estou falando de forma muito superficial, mas é uma coisa muito mais profunda. O Brasil continua formando grandes jogadores e poderia até montar outras seleções, e isso mostra que nosso futebol continua com talento”, avaliou.

O atleta até aponta um país como modelo a ser seguido. “Um grande exemplo seria o futebol alemão, que está em mais uma semifinal de Copa, pensando em longo prazo. Aqui, ainda se pensa com imediatismo, o treinador chega já tendo de ter resultado. Acredito que pode crescer, mas precisa de reformulação em vários aspectos.”

Depois de 11 anos no exterior, entre Itália e Espanha, Kaká terá pouco tempo para acompanhar de perto o que se passa no futebol brasileiro, pois acertou contrato com o Tricolor apenas até dezembro, já que está emprestado pelo Orlando City, clube com o qual assinou contrato de três anos. Portanto, a partir do início de 2015, o meia atuará nos Estados Unidos.