Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Kalil explica situação de Fernando e revela que recebeu parte da venda de Bernard

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

No retorno do Campeonato Brasileiro, a única contratação que a torcida do Atlético-MG terá como novidade até o momento será o meia-atacante Maicosuel. A diretoria do clube trabalha para buscar mais alguns reforços, mas tem encontrado dificuldades no mercado. O nome de Fernando, volante do Shakhtar Donetsk interessa ao Galo, mas segundo o presidente Alexandre Kalil, a negociação ficou complicada.

“A situação em Donetsk está muito complicada. De todos os jogadores, o Fernando é um jogador que interessa. Conversamos com o procurador dele, que é o Machado. Deu uma embolada. Parece que o próprio clube tirou os jogadores, mandou para Moscou ou para Kiev, querendo segurar, a crise está acabando. O negócio era tirar todo mundo da confusão, manter os contratos e depois voltar. Infelizmente, o negócio deu uma arrumada lá”, declarou.

Para trazer os reforços pedidos pelo técnico Levir Culpi, Kalil ainda aguarda parte do dinheiro da venda de Bernard, que está preso na Fazenda Nacional. O dirigente revela que conseguiu liberar parte dos valores, mas que metade do dinheiro segue longe dos cofres do Atlético-MG.

“O Atlético-MG Recebeu a metade. Como o dinheiro ficou preso, o euro subiu muito. Sessenta e pouco virou quase oitenta. Conseguimos liberar no mandato judicial a metade, quarenta e dois. Os outros estão presos. Os quarenta e pouco já viraram cinquenta e poucos”, comentou.

Além de procurar atletas para reforçar a equipe, o Galo tem que trabalhar para segurar jogadores importantes como o atacante Jô, que disputa a Copa do Mundo pelo Brasil. Kalil garante que até o momento ainda não recebeu proposta para vender o avante. “Não tem nenhuma proposta por nenhum jogador do Atlético-MG”, concluiu.

Divulgação
Volante Fernando é um dos reforços preteridos pelo presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil (Foto: Shaktar Donetsk)