Futebol/Copa 2014 - ( )

Moradores vendem de água a vatapá nos arredores do Castelão

Helder Júnior, enviado especial Fortaleza (CE)

Quem mora nos arredores do Castelão acordou cedo nesta sexta-feira, dia do jogo entre Brasil e Colômbia, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Para trabalhar. Assim como ocorreu em outras partidas do torneio disputadas em Fortaleza, o comércio ficou bastante ativo para aproveitar o fluxo de torcedores na região.

Até mesmo as pessoas que foram de manhã para o Castelão – o jogo começará apenas às 17 horas (de Brasília) – tiveram diversas opções para consumo. Todos que caminhavam nas avenidas de acesso ao estádio eram abordados por vendedores ambulantes (entre eles, muitas crianças), que ofereciam bebidas geladas em seus isopores.

As alternativas para almoço também eram variadas. Em menos de cinco minutos de caminhada sob calor intenso, um torcedor podia encontrar churrasco em espetinhos, calabresa acebolada, tapioca, feijoada e até vatapá para comer. Tudo preparado na hora.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Esse torcedor do Fortaleza lucrou até com quem precisava usar o banheiro antes do jogo do Brasil
Em menor número, alguns moradores locais comercializaram camisas, bandeiras e outros adereços de Brasil e Colômbia. Alguns torcedores estrangeiros, ainda não tão animados, chegaram a se interessar por produtos dos dois países. Uma maior parte estava mais preocupada com o forte calor – a ponto até de caminhar de sunga pelas ruas.

Para quem não quisesse andar muito – os bloqueios impostos pela Fifa impedem a circulação de veículos não autorizados nas proximidades do Castelão –, um grupo de moradores novamente negociava caronas em suas bicicletas, por R$ 5. No empate sem gols com o México, até o ex-goleiro paraguaio Chilavert fez uso do transporte.