Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Navas vê Holanda favorita, mas sonha em ser eleito melhor goleiro

Do correspondente Tiago Salazar Santos (SP)

A Costa Rica se tornou a sensação da Copa do Mundo após avançar à 2ª fase na liderança do grupo da morte, que tinha Uruguai, Inglaterra e Itália, e agora já sonha alto com a vaga nas quartas de final garantida após eliminar a seleção grega nas penalidades.

Para o goleiro Keilor Navas, destaque da seleção costarriquenha, admite que a Holanda, rival na briga por uma sonhada vagas nas semifinais, é a favorita para o duelo deste sábado, as 17 horas, na Fonte Nova, em Salvador, na Bahia.

“Creio que a Holanda é favorita, fizeram coisas mais importantes nos Mundiais do que a Costa Rica. Mas em uma partida pode acontecer qualquer coisa, temos que aproveitar com seriedade e pensar que podemos ganhar com precaução e respeito”, disse Navas, que agora terá que parar Robben, após acabar com as expectativas de Rooney, Balotelli, Cavani, entre outros.

“Chegamos ao Mundial e enfrentamos todas as partidas com a mesma seriedade, não temos que mudar nada, vamos dar a vida nesta partida, estamos em uma das partidas mais bonitas da vida, estamos diante de uma das potências mundiais e vamos fazer de tudo para ganhar”, comentou o goleiro, procurando não individualizar os pontos fortes da seleção holandesa.

E caso a partida vá para os pênaltis, Navas garante que estará preparado mais uma vez. Após defender a cobrança do atacante grego Gekas e classificar a Costa Rica, o arqueiro revelou que sempre estuda as cobranças de seus adversários.

AFP
Navas se diz preparado caso o jogo contra a Holanda vá para as penalidades

“Antes, vi vídeos dos batedores, estudei bastante, pode acontecer qualquer coisa, pode mudar, é muito do momento. Com Gekas, conhecia um pouco, fui companheiro dele, tomei a decisão correta. São coisas que passam em momentos chaves, creio que a Costa Rica fez grande trabalho e podemos ganhar”, contou Navas.

Além do pênalti defendido, Navas executou pelo menos dois milagres contra a Grécia, além de grandes defesas nos jogos da primeira fase, quando levou apenas um gol e de pênalti. Tudo isso, atrelado a um excelente ano pelo Levante da Espanha, credenciam o goleiro da Costa Rica ao título de melhor do mundo em sua posição.

“Estou sempre tranquilo, temos que ir passo a passo, é um sonho para qualquer goleiro do mundo (ser eleito o melhor do Mundial), mas não penso nisso. Se conseguir, será uma das coisas mais bonitas que podem acontecer na minha vida”, explicou.

Navas também comentou a emoção e comoção que tomou conta dos costarriquenhos após a cobrança de Umaña ser convertida contra os gregos e a vaga nas quartas de final ser garantida. Com um sorriso no rosto, o sempre sereno goleiro chorou e tentou explicar o sentimento da seleção da América Central.

“Coisas lindas, que é sempre para ter na mente e no coração. Sempre estar tranquilo e desfrutar, sempre tratei de ter estabilidade. No final, há lágrimas, que não dá para controlar, sentimento puro, essas coisas não se podem esconder, não se podem evitar”.