Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Neymar vê a própria família sofrendo, mas não promete "show"

Tossiro Neto, enviado especial Teresópolis (RJ)

As inscrições "Neymar" e "Nadine" nas chuteiras evidenciam o quanto os pais do principal jogador da Seleção Brasileira estão presentes em sua vida, inclusive dentro de campo. Neymar Júnior fala com os dois antes e depois de todas as partidas. Nos telefonemas pós-jogos da Copa do Mundo, até aqui, ele tem ouvido que as atuações da equipe têm causado apreensão.

"Espero que termine bem, que termine com o Brasil campeão. É tudo o que nós, jogadores brasileiros, queremos. A gente vai fazer de tudo para que não passemos tanto sufoco, que nossa família não sofra tanto", disse o atacante, nesta quarta-feira, dois dias antes da partida contra a Colômbia, em Fortaleza, pelas quartas de final.

Na capital cearense, assim como ocorreu nos quatro primeiros jogos do torneio, o camisa 10 brasileiro terá Neymar pai por perto. Ele tem viajado na companhia de amigos e do empresário do jogador, Wagner Ribeiro. No último sábado, em Belo Horizonte, Rafaella Beckran também esteve presente para dar força ao irmão.

"Meu pai, minha irmã, minha mãe e meu filho são tudo para mim. São as pessoas que eu mais amo na vida. Gosto sempre de ver meu pai. Sempre ouço ele antes dos jogos. Desde que eu tinha cinco, seis anos de idade, ele sempre me acompanhou. Isso é muito importante para mim. Eu gosto de conversar com ele antes dos jogos. Não só com ele como com meus amigos, minha família toda. É uma energia a mais. Sabendo que minha família está ali, fico mais confiante", contou Neymar.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Principal jogador da Seleção Brasileira, atacante sempre conversa com os pais antes e depois das partidas
Apesar da motivação que recebe, Neymar avisa a todos, inclusive familiares e amigos, que a Seleção não está preocupada em jogar um futebol bonito, mas sim em obter resultados.

"Nosso comprometimento é muito grande. Às vezes, não é só festa, 5 a 0, 4 a 0. O futebol está muito igualado, difícil. Não quero dar show. É a última coisa que eu quero. Estamos aqui para vencer. Se for só para defender e ganhar de meio a zero, ótimo. Não é para dar caneta, show. Estamos aqui para vencer. Vamos nos comprometer, correr até o final, nos cansar. Depois, no final do jogo, vamos ver se teve show ou não", salientou.

O confronto com a Colômbia está marcado para 17 horas (de Brasília) desta sexta-feira, em Fortaleza. Com ou sem show, o vencedor terá pela frente, na semifinal, o time que passar do duelo entre França e Alemanha.