Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Parreira chega ao Castelão e garante: Brasil não perderá pelo emocional

Fortaleza (CE)

O choro que dominou o time, incluindo o capitão Thiago Silva e o experiente goleiro Júlio César, antes mesmo das cobranças de pênalti contra o Chile, no sábado, foram a “prova de fogo” e deixou a Seleção à prova de sua própria emoção. A garantia foi dada pelo coordenador técnico Carlos Alberto Parreira na chegada ao Castelão, onde o time enfrenta a Colômbia às 17 horas (de Brasília) pelas quartas de final da Copa do Mundo.

“A Seleção está com o emocional equilibrado, não vai ter problema, não vai perder pelo lado emocional. Era o primeiro mata-mata, com prorrogação, pênaltis, perda de pênalti, bola na trave. Foi um teste de fogo e acho que hoje as coisas estarão bem melhores na parte emocional”, apostou o treinador do Brasil na conquista do Mundial de 1994.

Uma espécie também de conselheiro de Luiz Felipe Scolari, Parreira também avisou que mudanças podem ocorrer no time por necessidade, mas indica que tudo será feito com tranquilidade. O choro de sábado, no Mineirão, não será ponto de avaliação na escalação, segundo o coordenador técnico.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Segundo o coordenador técnico, time passou pela prova de fogo no sábado e estará mais tranquilo no Ceará
“Está tudo muito bom, não há nada de errado. Teve gente que chorou, teve gente que não chorou, e existiu alegria ganhado jogo. Se tiver necessidade, o Felipão vai mexer”, avisou, prevendo que o duelo desta sexta-feira não será tão tenso, como também pensa Scolari.

“A Colômbia tem características diferentes. Tecnicamente, é superior ao Chile, embora o Chile seja uma boa equipe. Faz uma campanha irrepreensível, com três ou quatro jogadores fora de série. O jogo com eles flui mais, tem menos marcação”, analisou Parreira.