Futebol/Copa do Mundo - ( - Atualizado )

Pinilla tatua lance da bola na trave que quase classificou o Chile

Santiago (Chile)

Brasil e Chile fizeram uma partida disputadíssima pelas oitavas de final da Copa do Mundo no último sábado. No tempo regulamentar o placar ficou em 1 a 1 e a partida foi para a prorrogação. Como o empate persistiu, a classificação foi decidida nos pênaltis e a Seleção Brasileira venceu. Mas nos últimos minutos da prorrogação, o atacante chileno Maurício Pinilla mandou uma bola no travessão e quase marcou um gol que mudaria a história e classificaria o Chile para as quartas de final.

Fanático por tatuagens, Pinilla decidiu eternizar o momento na própria pele e tatuou o lance em suas costas. No desenho, o goleiro Júlio César aparece caído e Pinilla usa o uniforme vermelho e azul de seu país ao lado das palavras “um centímetro da glória”. O jogador também marcou as palavras “Blessed” (“abençoado”) e “For Life” (“por toda a vida”). A tatuagem foi feita por Marlon Parra, da empresa Tattoo Rockers. Após publicar a foto das tatuagens nas redes sociais, o jogador do Cagliari recebeu diversas mensagens de carinho dos internautas, que chamaram o desenho de “marca de guerra”.

Reprodução/Instagram
Pinilla eternizou na pele o momento em que, por poucos centímetros, a bola não entrou

Além do lance que poderia ter eliminado o Brasil e caracterizado a pior campanha da Seleção em Mundiais, Pinilla também se envolveu em uma confusão com Rodrigo Paiva, assessor de imprensa da Condeferação Brasileira de Futebol (CBF). Paiva será punido com um jogo de suspensão após ser acursado de dar um soco no atacante no intervalo do duelo com os chilenos.

Através de seu Twitter, Pinilla criticou a punição branda, lembrou que o castigo Suárez foi muito pior – o uruguaio foi punido por nove partidas e banido por quatro meses de qualquer atividade ligada ao futebol por morder o italiano Chiellini – e pediu mais severidade.