Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Polícia prende executivo ligado à Fifa por venda ilegal de ingressos

Rio de Janeiro (RJ)

Na tarde desta segunda-feira, a Polícia Civil do Rio de Janeiro deteve, no Copacabana Palace, Raymond Whelan, diretor da Match, empresa que detém exclusividade na venda de pacotes e camarotes da Fifa. Ele é apontado como o elo entre a entidade e uma organização que comercializava ingressos ilegais da Copa do Mundo.

O CEO (diretor-executivo) não é funcionário da Fifa, mas tem ligação estreita com ela, já que somente a Match pode vender camarotes e pacotes corporativos para o Mundial. Além disso, tem exclusividade em aspectos como credenciamento de hotéis para competições da Fifa.

Uma das acionistas da Match é a Infront Sports & Media, empresa que tem como presidente Phillip Blatter, sobrinho de Joseph Blatter, mandatário da Fifa. Whelan também foi porta-voz da entidade máxima do futebol em todas as entrevistas coletivas sobre venda de ingressos corporativos e camarotes para a Copa.

A prisão do executivo faz parte da operação “Jules Rimet”, criada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro na semana passada. A ação prendeu 11 pessoas suspeitas de integrarem uma quadrilha que desviava e comercializava ingressos para o Mundial.

A operação apreendeu mais de cem ingressos para partidas da Copa do Mundo. Segundo a polícia, o esquema movimentava mais de um milhão de reais por jogo do torneio e operou nas últimas quatro edições da competição.

Entre os detidos está Fofana, franco-argelino apontado incialmente como um dos chefes da quadrilha. Em gravações autorizadas, a Justiça captou centenas de ligações dele para Whelan. Fofana ainda afirmou que a origem de seus ingressos era a Match Hospitality.