Futebol/Copa 2014 - ( )

Quinta prorrogação passa a ser recorde nas oitavas de final das Copas

Arthur Carvalho e Yan Resende, especial para a GE.net São Paulo (SP)

O equilíbrio entre as equipes mostrado até as oitavas de final da Copa do Mundo de 2014 já foi responsável por um recorde desta edição. Nesta terça-feira, Bélgica e Estados Unidos precisaram novamente do tempo-extra para decidir a última vaga nas quartas, totalizando cinco prorrogações ao longo deste estágio. O número é o maior já registrado na história do Mundial.

A Copa do Mundo de 1986, realizada no México, foi a primeira edição que contou com as oitavas de final. Desde então, todas as competições apresentaram prorrogações a partir desta fase. Em 1990, o Mundial disputado na Itália registou um recorde que até então não havia sido batido, com quatro tempos-extras.

Em média, com exceção de 1990, das oito partidas que decidiam vagas nas quartas de final, apenas duas precisavam ir além dos 90 minutos para que uma seleção conquistasse o seu objetivo. A mudança de cenário deste ano foi acompanhada de um maior nivelamento entre as equipes, o que permitiu, por exemplo, com que a Costa Rica surpreendesse três campeões mundiais ao longo de sua campanha.

O Mundial disputado na Itália, aliás, também detém o recorde de ser a competição com mais prorrogações ao longo de todas as fases. Além dos quatro tempos-extras nas oitavas, a Copa de 1990 contabilizou mais quatro até o seu término. Na segunda colocação aparece a competição de 2002, dividida entre Japão e Coreia do Sul, com cinco jogos que foram disputados depois do tempo regulamentar.

Desta forma, a Copa do Mundo realizada no Brasil tem boas chances de atingir mais um recorde. Com o fechamento das oitavas, ainda há mais oito partidas decisivas, que, em caso de empate, precisarão da prorrogação para que o vencedor seja conhecido. Nesta sexta-feira, França e Alemanha, às 13 horas (de Brasília), e Brasil e Colômbia, às 17 horas, abrem as quartas de final.