Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Runco rebate críticas e só dará exames de Neymar ao Barcelona

Tossiro Neto, enviado especial Teresópolis (RJ)

Durante extensa declaração antes de sua entrevista coletiva, neste sábado, o chefe do departamento médico da Seleção Brasileira, José Luiz Runco, rebateu espontaneamente uma série de questionamentos que teria recebido a respeito do processo realizado no atendimento a Neymar, na partida contra a Colômbia. Alguns, segundo ele, baseados em imagens falsas de exames divulgadas na internet.

"Já me mandaram 'n' imagens de coluna. Queria deixar claro que as imagens estão comigo. Já foram devidamente retiradas da clínica, o que é praxe no atendimento da Fifa. Nenhuma das imagens que são vistas na internet ou coisa que o valha são imagens reais", tratou de avisar, antes de informar que já foi procurado pelo médico do Barcelona, clube do atacante.

"Tenho bom relacionamento com o doutor Medina (Daniel Medina, médico do clube espanhol) desde a época em que o Neymar operou as amígdalas. Ele manteve contato comigo ontem mesmo e passei as informações. Passei a ele tudo o que aconteceu, ele está sabedor de tudo e terá as imagens que nós temos, até para que possa acompanhar a recuperação. O Neymar é jogador do Barcelona que presta serviço à Seleção Brasileira quando convocado. Temos que dar satisfação sempre ao clube de origem", disse.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Chefe do departamento médico da Seleção Brasileira concedeu entrevista na tarde deste sábado
O brasileiro sofreu uma fratura na apófise transversa da terceira vértebra lombar, devido a uma joelhada do lateral colombiano Juan Zúñiga. No início da tarde deste sábado, de helicóptero, ele deixou a concentração da equipe nacional rumo ao Guarujá, onde passará os primeiros dias da recuperação, a qual deve levar de três a seis semanas, incluindo o período de fisioterapia.

Runco aproveitou a entrevista para defender a maneira com que foi feita a remoção de Neymar do campo. "O que normalmente se recomenda é uma prancha rígida, a qual não é praxe nos atendimentos da Fifa. A Fifa usa uma maca em que não há risco de a pessoa se virar, mas é uma maca rígida, só um pouco mais difícil de encaixar. Nós o viramos de barriga para cima, em bloco, de maneira que a coluna não tivesse nenhuma flexão, nem as pernas. Isso previne qualquer comprometimento, lesão neurológica", argumentou.

Também partiu do chefe do departamento médico brasileiro a decisão de transportar o jogador de Fortaleza a Teresópolis, em trajeto que incluiu uma viagem de avião até o Rio de Janeiro, seguida de trajeto realizado de ambulância da capital até a serra fluminense. Tudo, de acordo com Runco, sob condições ideais.

"Seria muito importante que, na primeira noite, ele estivesse conosco, com três médicos (além de Runco, também Rodrigo Lasmar e Serafim Borges) dando suporte. Passei essa decisão ao pai do Neymar, que ficou bastante satisfeito. Ele veio confortável, em uma ambulância, com todos os cuidados que se faziam necessários. Foi uma logística boa para ele e o grupo", justificou.