Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Sabella avalia queda de tabu como recompensa: "Os atletas mereciam"

Brasília (DF)

Após uma primeira fase complicada, com triunfos apertados sobre Bósnia e Herzegovina, Irã e Nigéria, o técnico argentino Alejandro Sabella pode respirar mais aliviado. Responsável por colocar a Argentina nas semifinais da Copa do Mundo, após 24 anos, o comandante alviceleste exaltou o plantel que tem em mãos e entendeu a classificação como uma recompensa ao esforço coletivo.

“A vitória de hoje foi a amostra de uma evolução. A equipe foi homenageada com a classificação e, de certa forma, entrou para a história. Porém, queremos algo a mais. Sei que podemos acordar mal em um dia ou apresentar comportamentos diferentes, pois todos somos seres humanos, mas enxergo uma vontade grande no grupo. Vamos encontrar dias táticos, dias que nos exijam raça, porém, o importante é a uniformidade”, relatou.

Gazeta Press
"A vitória de hoje foi a amostra de uma evolução", disse o técnico Alejandro Sabella (Foto: Célio Messias)
Adiante, Sabella aproveitou para exaltar dois atletas em especial: o meia Di María, que saiu machucado na primeira etapa, com dores musculares, e o goleiro Sergio Romero. “Ángel é um exemplo para todos nós. É um jogador que se doa pelo time. Às vezes até tenho que pedir para que ele diminua o ritmo, com medo de uma lesão. Além disso, lá atrás, contamos com a atuação segura do Sergio. Isso mostra o tamanho da confiança dele, resumiu”

Por fim, o comandante voltou a mostrar preocupação com a situação de Di María e não despistou seu provável substituto, caso uma lesão se comprove. Na vitória contra a Bélgica, na tarde deste sábado, o escolhido foi o camisa 8 Enzo Pérez, que defende o Benfica-POR. Porém, Maxi Rodríguez, Ricky Álvarez e Augusto Fernández também aparecem como opções no setor ofensivo do meio-campo.

O compromisso contra a Holanda, válido pelas semifinais da Copa do Mundo, está marcado para quarta-feira, às 17 horas (de Brasília), na Arena Corinthians, em São Paulo-SP.