Futebol/Copa 2014 - ( - Atualizado )

Técnico justifica opção por Lucas Biglia: "Precisava de um volante rápido"

Brasília (DF)

Os constantes erros de passe apresentados pelo volante Fernando Gago custaram sua vaga de titular na formação da Argentina. Para o duelo contra a Bélgica, o técnico Alejandro Sabella optou pelo jovem Lucas Biglia e não se arrependeu: o jogador do Napoli-ITA teve um bom desempenho e ajudou os alvicelestes a avançarem às semifinais, após a vitória por 1 a 0 no Distrito Federal.

“A idéia foi ter voltantes rápidos, que possam cobrir espaços externos. O Mascherano é um jogador que se apresenta mais fixo e o Biglia veio para promover mais deslocamento. Isso ajuda na ofensividade da formação. Hoje a equipe conseguiu controlar o jogo e vencer com convencimento”, sintetizou o treinador.

Adiante, Sabella discorreu atentamente sobre a tática empregada para vencer os diabos vermelhos: “Primei pelo equilíbrio, do começo ao fim, e meus atletas corresponderam, atuando em linhas próximas. Claro que, vez ou outra, elas se distanciaram, mas conseguimos corrigir pontualmente. Isso foi essencial e deu confiança para todos.”

Porém, a entrada de Lucas Biglia não foi a única alteração não forçada promovida pelo comandante. Na zaga, o experiente Demichelis ganhou o posto de Federico Fernández. Ao lado de Zabaleta, Garay e Basanta, o defensor do Manchester City-ING conteve os ímpetos europeus e saiu do Mané Garrincha sem exigir muito esforço do goleiro Romero.

Gazeta Press
Atleta do Boca Juniors-ARG, Gago perdeu o posto para Biglia, mas entrou no 2º tempo (Foto: Célio Messias)